Xandy Novaski entrevista a diva Meime dos Brilhos

MEIME DOS BRILHOS - Crédito Beto Moraes

Brilhar, verbo intransitivo. Luzir, cintilar. Eis o que há de mais especial no âmago da diva MEIME DOS BRILHOS. O esplendor dessa artista vai além das suas luxuosas roupas. Está na alma. A cantora Alcione, com quem Meime trabalha há mais de 20 anos, sabe disso. Quem já viu sua arte, seja nos palcos ou na maquiagem, reconhece o que estou falando. Vem comigo nessa entrevista que é pura história da noite carioca!

1 – Quando você começou, o pessoal lhe chamava de Memea. E isso se dava pela alquimia em transformar as roupas em algo além do comum. De onde veio esse dom?

Quando comecei tipo 1977, meu nome era Memea, porque meus amigos me chamavam de bruxa. Tudo eu transformava. Tipo, se eu tinha uma sandália, a cada semana ela estava de uma cor, pois eu cobria de purpurinas, e as roupas sempre dava um truque.

Meime dos Brilhos. Foto: Beto Moraes

1 – Quando surgiu a Meime dos Brilhos?

Surgi no Carnaval pelas roupas brilhosas. O nome Meime vem de um filme com a Lucille Ball, chamado Mame. No filme ela era uma tia pianista e só usa roupas de brilhos. Dai saiu Meime dos Brilhos.

2 – O Carnaval sempre esteve presente em sua trajetória profissional. Qual definição você dá a essa festa onde a alegria é a protagonista?

Em relação ao Carnaval, comecei no Carnaval de Rua na Avenida Rio Branco, e dali passei a desfilar nas escolas pequenas, as de acesso. Hoje sou destaque da Unidos da Tijuca e Estação Primeira de Mangueira. Carnaval é tudo pra mim. Não consigo ficar de fora.

Meime dos Brilhos no palco. Foto: Beto Moraes

4 – Você tem uma linda trajetória profissional ao lado da cantora Alcione que perdura por mais de 20 anos. Quando foi dado o start nessa parceria?

Conheci a Alcione no final dos anos 80, mas não trabalhava com ela. Em 1992 surgiu a oportunidade de maquiá-la para a capa do disco Brasil de Oliveira da Silva do Samba, naquela época ainda vinil. E estou até hoje. Já sou da família.

5 – Por falar em maquiagem, esse é um tipo de trabalho que também envolve a transformação. O estado emocional de um maquiador interfere na hora de maquiar alguém?

Em relação à maquiagem, quando olho para cliente, já imagino o que irei fazer. No caso da Alcione, já sei os tons e como ela gosta. Na maioria das vezes ela nem olha, porque confia. Afinal, são muitos anos. Eu faço meu lado profissional. A cliente está pagando, então eu viajo na beleza.

Meime dos Brilhos. Foto: Beto Moraes

6 – Você tem uma versatilidade incrível na área artística. Além do trabalho com figurino e maquiagem, o palco e o microfone também lhe abrem passagem. Quando surgiu a oportunidade em ser apresentadora, algo que a Meime faz com tamanha naturalidade

Participei de um grupo chamado ‘Frenéticos’. Começamos no Gayfieira Palace, antigo Cinema São José, na Praça Tiradentes. Depois fomos para o Teatro Rival, na Cinelândia. Foi quando recebi um convite do novo dono do Cabaret Casa Nova. Não tinha nenhuma experiência como apresentadora, mas recebi muitas dicas e fui me adaptando. Fique 32 anos lá, de quinta a domingo. Recebi o título de Rainha da Lapa pela revista de domingo do Jornal O Globo.

7 – A Meime dos Brilhos esteve no Cabaret Casa Nova por 30 anos. O que permanece daqueles tempos na sua lembrança?

As melhores possíveis dessa época de ouro. Fui muito feliz!

8 – O glamour, as grandes produções das casas noturnas ainda perduram

Em relação ao glamour ainda existe, mas pouco. Hoje nos apresentamos em saunas porque restam poucas boates. E nas saunas revivemos os bons momentos de glamour.

Meime dos Brilhos. Foto: Beto Moraes

9 – Como é a Meime dos Brilhos no dia a dia, fora da noite?

No dia a dia costumo dizer que de dia sou tubarão e à noite sou sereia, porque me mantenho transformista.

10 – Há divergências entre a Meime e o Tadeu? Como se dá os acordos entre os dois?

A Meime é o Tadeu. Aqui tem dois guarda-roupas: o da Meime é maior, o do Tadeu é simples. A Meime é luxuosa.

Meime dos Brilhos por Beto Moraes
Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

Luma Olive: ‘Sugar Baby’, uma doce vida? Parte 1

Próxima Publicação

Rede de cinema exibe galeria virtual com mais de 200 artistas para todo o Brasil

115 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.