Xandy Novaski entrevista o modelo Raphael Falcão

RAPHAEL FALCÃO - Crédito Enzo Soares

Foi através de um convite feito numa rede social que as portas se abriram para RAPHAEL FALCÃO. Residente em Campos do Jordão, no interior de São Paulo, o jovem se prepara para alçar novos voos no Rio de Janeiro aprimorando-se na carreira como modelo.

Conheça a história desse rapaz perseverante que soube entender os códigos que o destino havia lhe apresentado, fazendo disso o ponto inicial para um futuro repleto de ótimos desafios e grandes conquistas!

1 – Sua trajetória como modelo inicia-se com um convite via Facebook. Você tinha ideia de que se enveredaria pelo mundo da moda?

A primeira impressão sobre o convite foi de receio porque não sabia se o mesmo era legítimo. Pesquisei sobre o Dilson Stein e vi que era uma oportunidade muito boa. Eu não fazia ideia da proporção que iria tomar.

2 – Como foi que aconteceu o convite?

Uma mulher me mandou mensagem no Facebook e deu as informações sobre uma seletiva que teria na cidade onde moro, em um hotel, e que se me interessasse eu poderia participar. Conhecia algumas pessoas que foram convidadas também e fui. Na época eu era menor de idade e precisava de um responsável para me acompanhar, e meu pai foi comigo.

3 – Antes de tudo isso acontecer na sua vida, você tinha outros planos como, por exemplo, seguir outra carreira? Qual?

Tinha e mantenho junto à carreira de moda. Estudo no Instituto Federal de Campos do Jordão. Estou completando o ensino médio técnico em Edificações e depois darei continuidade em Engenharia Civil.

RAPHAEL FALCÃO – Crédito Marília Rezende

4 – As redes sociais têm um potencial de divulgação impressionante. No seu caso, o Facebook lhe garantiu um futuro promissor na área profissional. O que tem a dizer sobre isso?

De forma consciente e produtiva em relação ao conteúdo, nas redes sociais como Instagram, Facebook, Twitter e Tik Tok, você constrói sua imagem pessoal e chegarão oportunidades das quais nem se imagina. Cabe a cada um analisar e abraçar as oportunidades e não desistir nunca.

5 – Foi numa segunda seletiva do curso, isso já em São Paulo, que as portas da famosa agência ’40 Graus’ se abriram pra você. Como foi esse encontro com o Sergio Mattos?

Foi muito legal, cheguei ao lugar em que teve as palestras meio perdido, porque não conhecia. Perguntei, sem saber que era o Sergio Mattos, se eu estava no lugar certo. Logo ele me respondeu que sim, e me elogiou, fez algumas perguntas. Em seguida perguntou se gostaria de participar de fotos do Vanilson Coimbra. Logo, disse que sim. Ele precisava de uma garota e um garoto. No caminho para chegar onde o Vanilson estava, conversamos sobre onde eu morava, se conhecia o Rio e a ‘40 Graus’. Chegando lá, ele me apresentou ao Vanilson, fizemos um breve ensaio incrível para a palestra dele. Desde aquele momento mantive contato com o Serginho e os modelos que o acompanhavam, o Alan Oliver, Gabriel Bellio e o Matheus Forjado. Eles foram muito legais comigo e essenciais, sempre me dando bons conselhos até hoje.  Desde lá, sou muito grato!

6 – Você participou do workshop no Rio e foi conhecer a agência. Agora se prepara para ir morar de vez na capital fluminense. Qual é o filme que passa na sua cabeça quando relembra o primeiro dia ainda em Campos do Jordão e agora, enquanto se prepara para alçar grandes voos na carreira?

O filme que passa quando relembro é uma sensação muito boa, cada momento de aprendizagem em todas as palestras, todos os conselhos no evento do Dilson Stein, a oportunidade que tive com o Vanilson Coimbra, cada agência que tive a oportunidade de conhecer e aumentar o conhecimento sobre a carreira e com isso analisar bem o que eu quero dentro dela. Sempre tive o Rio distante, apenas conhecendo pelas telas de celular ou TV vendo o lindo Réveillon, o Carnaval, ou pelas minisséries que assistia. Poder ir lá e conhecer foi a melhor experiência que tive. Visitei lugares lindos e fui muito bem recebido na ‘40 Graus’ e pelo Serginho que é incrível. Estou ansioso para morar lá!

RAPHAEL FALCÃO - Crédito Sthella Fantin

7 – A pandemia de covid-19 tem adiado alguns sonhos, obrigando-nos a nos isolar socialmente. Como você está lidando com tudo isso?

Analiso que, com essa adiada de colocar em prática os sonhos, enriquecer o conhecimento teórico é a melhor forma. Assim, quando tudo voltar, aos poucos a bagagem de conhecimento estará maior e, com isso, os sonhos ficarão mais pertos ainda de serem conquistados. Penso que são em tempos de crise, empresarial, pessoal ou até mesmo geral como estamos, que nos descobrimos e também descobrimos soluções que podem abrir um mundo de possibilidades.

8 – Como o Raphael cuida do físico e da mente?

Tenho isso em conjunto, mantendo a mente e o corpo o melhor possível, interligados, analisando sempre o que posso levar de aprendizado nas situações, mantendo quem me quer bem por perto, saindo para correr e fazer exercícios físicos em lugares abertos e diferentes, tomando sempre todos os cuidados de acordo com a OMS sobre o vírus, mantendo o melhor diálogo e convívio com minha família, que são os mais importantes. Treino todos os dias em casa. Gosto de pedalar e correr pela cidade que tem belas paisagens, sempre bebendo muita água e me alimentando de muitas frutas. Tenho esse costume porque quando meu pai era jovem trabalhou na feira com meu avô, tinham uma barraca de fruta.

9 – Quais são seus planos no mundo da moda?

Meus planos são ir trabalhar e morar lá no Rio, sempre abraçando e dando 100% em todas as oportunidades que surgirem. Tenho o sonho de seguir carreira internacional e estou estudando para isso, pesquisando sobre o mercado internacional e me aprimorando em línguas estrangeiras.

Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

Ateliê Dandan lança linha de doces fit

Próxima Publicação

Bienal do Livro do Rio será permanente na internet

150 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.