Espaço Zagut abre exposição virtual 'Quarentena'

Augusto Herkenhoff 100 X 80

Nesta sexta, 3 de julho, o Espaço Zagut abre a exposição virtual “Quarentena” com vernissage através de live no dia da abertura às 17h no instagram e às 18h no facebook da galeria. A exposição virtual “Quarentena” vai ser exibida na página da galeria  espacozagut.com através da galeria virtual e do catálogo virtual, que poderá ser impresso no site da Amazon, e acesso ao Youtube aos vídeos dos 125 artistas participantes.

 Com organização de Isabela Simões e Augusto Herkenhoff ,  “ Quarentena é uma exposição pensada para ser virtual e inclusiva”. “ Convidamos artistas visuais, fotógrafos, poetas, compositores, para apresentar uma obra que refletisse a quarentena e se expressar através de um vídeo sobre seus hábitos e emoções. O resultado são obras que falam de sentimentos como o medo e a solidão, depoimentos em forma de poesias cantadas, artistas cozinhando, artistas cuidando da mãe e fazendo performances sobre racismo, entre outros”, explica Isabela que selecionou 125 artistas participantes não só do Rio de Janeiro mas também de outras cidades como Porto Velho, Curitiba, Vitória, São Paulo, Niterói, Florianópolis, Porto Alegre, Cachoeiro de Itapemirim, Teresina, Petrópolis.     

 

Clara Cavendish 110 X 100

Entre os participantes, destaque como vídeo performance de Jarbas Paullous sobre racismo, a poetisa Simone Brantes e Heloisa Seixas, vídeo documental do compositor Bernardo Vilhena, dos poetas Manduca Simões e Mario Chagas, escultura de luz de Graça Pizá, obras de Lia do Rio, Ana Branco, Jorge Barata, Clara Cavendish, Gilda Santiago, Aguilar, Laura Bonfá Burnier, Vicente Duque Estrada, Ivan Cardoso.     

 “Quando em março se resolveu não adiar a exposição de abril por causa da pandemia que chegava em terras brasileiras, pareceu algo bem estranho para muita gente, beirando a irresponsabilidade. Quando se entendeu que ninguém colocaria ninguém em risco, os artistas e a equipe mergulharam de cabeça nos projetos propostos e propuseram outros mais. Isso foi preenchendo muitos espaços de vida, unindo as pessoas, criando orgulho do que se foi construindo”.

 A proposta da exposição “Quarentena” é mostrar o que se vem criando neste período, e a proposta de interdisciplinaridade da Zagut nunca esteve tão presente. Como espaços dentro das casas viraram ateliês, como o cotidiano vem servindo de inspiração, como o que se fala por aí se refletiu nas obras. Se testou pelas contingências novas técnicas, se voltou a trabalhar com outras há tempos esquecidas. Artistas visuais escrevem, tocam instrumentos, fazem filmes. Quem não fazia artes visuais se aventurou.

Andres Papa 80 X 120

E assim foram se somando outros tipos de arte, à realizada pelo grupo de artistas plásticos, já propositalmente bem diverso, que orbita no espaço curatorial da Zagut. Diferente de todos os anteriores, este catálogo se abre com poemas. O que vem tocando as mais diversas pessoas durante a quarentena interessa. Temas muitos diversos e caros aparecem nas obras: medo, esperança, racismo, distribuição de renda, solidão…

 Não faltam possibilidades para nos fazer refletir, nos tocar, nos transformar. As obras vêm acompanhadas de vídeos que explicam o processo criativo, as propostas, esses cantos, essas preferências, essas construções. Os artistas foram muito generosos e se mostraram de corpo e alma. E as mãos dadas virtualmente, o espírito coletivo vívido nesse meio tão solitário que é o trabalho do artista, têm sido essenciais para o conjunto de esforços de construção de catálogo, vídeos e galeria virtual, nos quais cada obra tem seu papel e que se transforma em um trabalho de todos. A Zagut tem muito orgulho de apoiar esse olhar de diversidades, na certeza que a grande possibilidade que essa pandemia permite será um mundo com muito menos preconceitos que o que entramos lá no início.    

 

Ana Branco 30 X 42
Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

Sérgio Mattos: Bernardo Rabello, nova aposta da moda nacional

Próxima Publicação

Katy Perry abre o jogo sobre como superou a depressão

1.655 Comentários