André Conrado e a história de Copacabana: 'Bohemia, badalação e muito Glamour!'

Varanda do restaurante - 1938.

Se as primeiras décadas foram de calmaria naquele lindo e inóspito areal  as próximas décadas , mais precisamente depois da Inauguração do majestoso Copacabana Palace Hotel foram anos muito badalados em Copacabana, não só trazidos por seus importantes e internacionais hóspedes e memoráveis festas,  os próximos anos  trouxeram novidades como a Bossa Nova e o Rock’n Roll e mudaram de vez aquele cenário calmo daquele bairro de antigamente.

E nos anos seguintes Copacabana criou moda, revolucionou os costumes e se consolidou como o principal destino do turismo no Brasil!

Começaram o surgimento dos arranha-céus em Copacabana, que dividia muito as opiniões dos moradores: para uns, os edifícios não passavam de casas de cômodos e pareciam verdadeiros caixões, para outros, eram uma onda de civilização. De qualquer forma, a quantidade de edificações como estas, era ainda pouco expressiva. Os prédios mais altos localizavam-se na Avenida Atlântica, na Avenida Nossa Senhora de Copacabana e no Lido – os lugares que possuíam maior largura.

Copacabana Palace 1950.

Apesar de ainda existirem muitas casas, o surgimento dos pequenos e grandes prédios, foram mudando rapidamente a fisionomia das ruas do bairro.

O bairro de Copacabana teve a sua paisagem marcada pelas construções em estilo art-decó, com a simplicidade das linhas retas, as janelas inspiradas em vigias de navio e guarda-corpos de ferro arredondado. Foi neste bairro que este estilo se mostrou de forma mais expressiva. Até hoje, podemos identificá-lo em alguns prédios: nos vastos halls, nos detalhes em ferro e vidro das portas, nos letreiros e luminárias, nos relevos sutis do concreto das fachadas, nas saliências e reentrâncias.

No trecho das Avenidas Atlântica e Nossa Senhora de Copacabana, próximo à praça do Lido, ergueram-se os primeiros edifícios de apartamentos, símbolos de um bairro moderno e elegante.

Avenida Atlântica anos 58. Lido.
Praça do Lido - 1951. Rio antigamente.

O Copacabana Palace Hotel , com seu Cassino , alçou à fama e à internacionalização do bairro.

Cassino do Copacabana Palace. Anos 40.

Havia outro Cassino no bairro , inaugurado dois anos antes, o Atlântico , edificado onde antes era o Mère Louise (no futuro, estariam ali a TV Rio. Os Cassinos atraíam personalidades do mundo todo até o dia 30 de abril de 1946, quando o presidente Eurico Gaspar Dutra baniu o jogo do país. 

Cassino Atlântico Copacabana

O Copacabana Palace Hotel teve a glória de hospedar reis, imperadores, príncipes, presidentes do Brasil e de vários países, marajás da Índia, intelectuais, cientistas, artistas de todo o mundo e figuras respeitadas das mais diversas categorias como dito na outra reportagem. Porém, logo depois de empossado, em 30 de abril de 1946, o presidente Eurico Dutra, em decreto, proíbe o jogo no Brasil. O Cassino Atlântico logo fechou as portas, por não ter um hotel de sustentação, como era o caso do Copacabana Palace Hotel, que transformou o espaço para shows e outras atividades turísticas. E assim surge a nova boêmia em Copacabana, onde o seu templo maior (embora de curta duração e final trágico) foi a boate Vogue.

Não podemos deixar de citar o surgimento de uma grande personalidade do Colunismo Social nesta época, ou até, para alguns o criador deste, através de Imbrahim Sued. Trabalhou com Joel Silveira na revista Diretrizes. Começou, então a conhecer personalidades e fazer amizades, frequentar festas e a piscina do hotel Copacabana Palace

De pequenas notícias na seção “Vozes da Cidade”, no recém-fundado “Tribuna da Imprensa” de Carlos Lacerda, passou a fazer a coluna “Zum-Zum”, no “A Vanguarda” (1951). Com sua personalidade única e carisma estava pronta uma mistura de sucesso que movimentou a sociedade carioca por décadas!

Piscina Copacabana Palace com Sra. nos anos 50.

Já a Bossa Nova nasceu em meio esse fervilhar da noite de Copacabana , mais precisamente  na Avenida Atlântica , na casa de Nara Leão, onde a partir de 1956, jovens da classe média, como: Roberto Menescal, Ronaldo Bôscoli, Carlinhos Lyra e outros, em torno de cervejas e sanduíches se reuniam para cantar. Porém o fato que marcou o aparecimento da Bossa Nova foi o disco gravado por Elizeth Cardoso, em 1958, Canção do amor demais, cujo acompanhamento era feito pelo violonista João Gilberto, com uma nova forma rítmica, uma batida diferente, logo batizada de Bossa NovaJoão Gilberto tornou-se depois cantor e o papa da Bossa Nova, reconhecido no mundo inteiro. 

Copacabana fervilhava e brilhava, encantando ainda mais e se tornava um centro mundial das atenções, não só de beleza, mas de entretenimento!

Atlântica anos 1958. Fonte Asset.

E assim tivemos a oportunidade de reviver esse bairro tão encantador que faz parte do imaginário do Rio de Janeiro!

Fontes:  Instituto Moreira Salles – Rio de Janeiro – História da Cidade

Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

‘Noites de Fado’ em Lisboa a preços acessíveis

Próxima Publicação

Italiana Maserati apresenta o motor Nettuno: 100% produzido pela marca

22 Comentários

  • No entorno da praça do Lido tem realmente uns lindos prédios , inclusive já reproduzimos um deles numa cidade cenográfica para uma novela!

    • Fantástico. Como é bom reviver com as curiosidades e fotos daquela época. Parabéns pelos seus posts. Deixa o gostinho de quero mais.

      • Adorei a sua reportagem sobre Copacabana. Muito completa, Parabéns, adorei. Mirtes Azevedo

  • Parabéns, André Conrado .
    O conteúdo da sua coluna sobre a história de Copacabana está sensacional, alias, tenho acompanhado seuvtrabalhob e posso afirmar que voce escreve muito bem , pois os detalhes e curiosidades que voce retrata faz com que o leitor fique aguardando qual será o proximo tema que você vai abordar .

  • bravo se.pre aprender curiosidades da nossa Copacabana, Parabens super!!!!

  • Continua MARAVILHOSO!!!!! Gostei muito da foto do Cassino Atlântico!! Parabéns!!! Já estou esperando a pesquisa da semana que vem!

  • Querido amigo pelo texto e maravilhosa histórias. Parabéns pelo lindo projeto.
    Bjao

  • Fantástico! Lindas reportagens sobre Copacabana! Adorei! Parabéns!

  • Parabéns André!! Realmente muito boa a sua matéria sobre Copacabana. Fico imaginando como deve ter sido naquela época. 👏🏻👏🏻

  • No matter if some one searches for his vital thing,
    thus he/she wants to be available that in detail, thus that thing is maintained over here.

  • This paragraph will assist the internet users for creating new web site or even a blog from start to end.
    3aN8IMa cheap flights

  • Who says A must say B.

  • Whosoever draws his sword against the prince must throw the scabbard away.

  • Drive gently over the stones.

  • Forgive and forget.

  • Be the day weary or be the day long at last it ringeth to evensong.

  • Scratch a Russian and you find a Tartar.

  • Praise the young and they will blossom

  • … [Trackback]

    […] Find More on that Topic: revistadovilla.com.br/2020/07/08/andre-conrado-e-a-historia-de-copacabana-bohemia-badalacao-e-muito-glamour/ […]

  • A burnt child dreads the fire.

  • Thank you for the good writeup. It in fact was a amusement account it.
    Look advanced to far added agreeable from you!

    However, how could we communicate? 0mniartist asmr

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.