Douglas Delmar: 'Mariza, a revolução do fado'

CAPA DISCO MARIZA, 2018 - Crédito Gravadora Rimo

Nascida em Maputo, capital de Moçambique, é filha de pai português e mãe moçambicana. Nascera de forma prematura e, segundo ela, o pai a considerava um bebê de aparência feia, julgando que ela não fosse sobreviver. Mas Mariza sobreviveu e cresceu para mostrar ao mundo sua voz poderosa de meio-soprano, tornando-se uma revolução no fado. Não se admira que tenha sido nomeada Embaixadora da Boa Vontade da UNICEF em 2005, e que tenha vencido o Prêmio Luso-Espanhol de Arte e Cultura, em 2018.

Em 1977 a família muda-se para Lisboa, no intuito de recomeçar a vida. Tereza tinha então três anos de idade. Instalaram-se em Corroios e, mais tarde no bairro da Mouraria, onde abriram um restaurante chamado Zalala, frequentado por renomados fadistas. E foi assim que Mariza, aos 7 anos, começou a cantar, influenciada pelo pai, que segundo ela estava sempre a ouvir fado e, na hora das refeições, nunca se via televisão; ouviam-se discos, sempre de fado”. Tinha o hábito de cantar também no recreio da escola primária. 

Apesar dos pais já perceberem o talento da filha, é na adolescência que Mariza começa a ser vista como cantora. No restaurante dos pais, interpretou o fado Os Putos, de Carlos do Carmo, que o pai lhe ensinou rabiscando desenhos em toalhetes de papel, pois a menina ainda não sabia ler. Costumava fugir de casa para ir ouvir fados à noite no Grupo Desportivo da Mouraria, permanecendo na porta, pois não a deixavam entrar. Antes de se definir como fadista, Mariza se aventurou por diversos gêneros musicais como pop, jazz, soul e gospel. Começou a cantar de forma mais profissional em uma casa de fados chamada Sr. Vinho, interpretando a canção Povo que lavas no rio

Em 2001 lançou o primeiro disco Fado Em Mim, destacando-se as faixas Chuva, Ó Gente da Minha Terra e Oiça lá ó senhor vinho. O disco é uma espécie de tributo a Amália Rodrigues, pois algumas de suas músicas faziam parte do repertório. O CD vendeu muito bem e possibilitou que Mariza realizasse concertos fora de Portugal.

Um ano mais tarde, veio Fado Curvo, obtendo o mesmo sucesso do disco anterior, com temas como Cavaleiro Monge, Primavera e Caravelas, baseado num poema de Florbela Espanca.

Em 2004 sai o disco Transparente, uma homenagem a sua avó africana. O álbum mescla novas sonoridades que vão desde as suas raízes moçambicanas até entoações do nordeste brasileiro passando pela música clássica. A cantora também deu voz à poemas de Florbela Espanca e Fernando Pessoa, o qual anunciou “Para mim, o melhor poeta português do século XX: Fernando Pessoa”. O disco dividiu opiniões, pois os puristas não se agradaram com o trabalho.

Terra é o quarto disco de Mariza, lançado em 2008, incluindo fados clássicos, duetos e mornas (Um gênero de música e dança de Cabo Verde).

Em 2010 lança Fado Tradicional, interpretando fados de Amália Rodrigues, Alfredo Marceneiro e textos de Fernando Pessoa. Em 2014 surge o Best Of (Mariza) que reúne 17 temas dos álbuns anteriores e mais dois novos.

CAPA DISCO MUNDO, 2014 - Crédito Gravadora Rimo 

Mundo é lançado em 2014 e alcança dupla platina em Portugal. A cantora afirmou que o disco é uma homenagem a Amália Rodrigues.

Considerada a artista preferida dos portugueses, a popularidade de Mariza cresce cada vez mais e, em 2018 surge seu sétimo disco, intitulado Mariza, que a coloca no topo de vendas. Quem Me Dera foi considerada a canção do ano e o vídeo alcançou mais de 22 milhões de visualizações no Youtube.

Mariza conquistou êxito na carreira, pois soube unir o fado clássico ao contemporâneo, inovando-o ao acrescentar ritmos de outras culturas em seu repertório, criando uma música original e de qualidade. Suas apresentações arrastam multidões em todos os países que chega. A moça de Moçambique valorizou as raízes de sua cultura africana sem desprezar a sua identidade portuguesa, merecendo todo o prestígio que recebe mundialmente.

Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

Flavio Santos: ‘Orfeão Português, o amansador de feras’

Próxima Publicação

Sala Cecília Meireles reabre em agosto com apresentações via YouTube

6 Comentários

  • … [Trackback]

    […] There you can find 47400 more Information to that Topic: revistadovilla.com.br/2020/07/27/douglas-delmar-mariza-a-revolucao-do-fado/ […]

  • … [Trackback]

    […] Here you will find 94477 more Info on that Topic: revistadovilla.com.br/2020/07/27/douglas-delmar-mariza-a-revolucao-do-fado/ […]

  • … [Trackback]

    […] There you will find 50323 additional Information on that Topic: revistadovilla.com.br/2020/07/27/douglas-delmar-mariza-a-revolucao-do-fado/ […]

  • … [Trackback]

    […] Here you will find 10883 additional Info to that Topic: revistadovilla.com.br/2020/07/27/douglas-delmar-mariza-a-revolucao-do-fado/ […]

  • … [Trackback]

    […] There you can find 69031 additional Information on that Topic: revistadovilla.com.br/2020/07/27/douglas-delmar-mariza-a-revolucao-do-fado/ […]

  • … [Trackback]

    […] Read More here on that Topic: revistadovilla.com.br/2020/07/27/douglas-delmar-mariza-a-revolucao-do-fado/ […]

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.