Flávia Correia:“La Divina”

Maria Callas como Norma. Crédito: Google image.

Maria Cecília Sofia Anna Kalogeropoúlou, conhecida como Maria Callas, “La Divina”. Nasceu em 02 de dezembro de 1923 em Nova York, oriunda de uma família de imigrantes gregos.

Em 1937, devido a dificuldades econômicas ela mudou-se com a mãe para a Grécia. Lá estudou canto lírico no conservatório de Atenas.

Callas possuía uma extensão vocal fora do comum. Era classificada como soprano absoluto e isso permitia a cantora abordar papéis desde o alcance de uma mezzo-soprano até o do soprano coloratura. 

Como ela tinha o domínio perfeito das técnicas de canto lírico, possuía um repertório bem versátil. Do bel canto ao drama Wagneriano.

Apesar do seu primor vocal, “La Divina” também se destacou por suas habilidades cênicas. Fazia um detalhamento psicológico de suas personagens. Seu estilo de interpretação foi revolucionário e deixou vários herdeiros, como Joan Sutherland e Renata Scotto.

Maria Callas e o magnata Aristóteles Onassis. Crédito:  site revistapreview.com.br

A Soprano começou a despontar no cenário lírico em 1948 e já em 1950 apresentava-se regularmente nas principais casas de óperas como La Scala, Covent Garden e Metropolitan.

E com o auge da fama também vieram à tona seu gênio forte, as brigas públicas com a rival Renata Tebaldi e os escândalos de sua vida privada.

No final da década de 50 sua voz começou apresentar sinais de desgaste, assim diminuindo o número de apresentações. Mas em 1964 foi encorajada pelo cineasta Franco Zeffirelli a voltar aos palcos, na sua montagem da ópera Tosca de Puccini, no Covent Garden,em Londres.

Sua última aparição em uma ópera completa como Tosca foi em 1965, em Londres. Nesse período ela já estava com a voz bem debilitada devido ao seu desequilíbrio emocional. Nessa mesma época conheceu o magnata grego Aristóteles Onassis. Os dois tiveram um relacionamento amoroso avassalador. Porém, foi marcado por escândalos e traições.

Maria Callas Crédito: site indiewire.com

O relacionamento acabou e Onassis começou a namorar Jacqueline Kennedy, com quem acabou casando-se em 1968.

Dizem que Maria Callas nunca superou o término e que isso só contribuiu para seu declínio.

A Diva morreu de infarto aos 53 anos em 16 de setembro de 1977, em seu apartamento em Paris.

Callas foi a maior cantora de ópera do século XX e serve até hoje de inspiração aos cantores líricos (incluindo eu que vos escrevo), deixando sem dúvidas um grande legado.

Divina! Para sempre Divina!

Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

Roseli Siqueira apresenta combos de beleza para o Dia dos Pais

Próxima Publicação

Xandy Novaski entrevista o poeta Douglas Delmar

19 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.