Maiorca: um paraíso no coração do Mar Mediterrâneo

Localizada no coração do Mar Mediterrâneo, Maiorca é sol, montanha, mar, gastronomia e cultura. A ilha reúne muitas atrações e a melhor maneira de descobrir suas belezas é de carro. O ideal é alugar um assim que chegar no aeroporto. De carro, é fácil conhecer pequenas vilas e as praias mais isoladas e bonitas. 

Agora, se prefere não dirigir, opte pelas visitas guiadas. Existem muitas que saem de Palma de Maiorca!

A costa oeste de Maiorca e o norte são particularmente incríveis. Percorrendo a estrada, você vai encontrar vilas pitorescas como Valldemossa, Deià ou Sóller.

Valldemossa é a base perfeita para começar a explorar a ilha. É muito turística, mas também é uma das mais bonitas vilas de Maiorca. Está situada num vale ao longo das montanhas Tramuntana e a sua principal atração é a Real Cartuja — um grande e antigo mosteiro que já foi lar de reis, monges e, mais tarde, recebeu celebridades como Frédéric Chopin e George Sand.

A Serra de Tramuntana que cerca Valldemossa é Patrimônio Mundial da UNESCO desde 2011, e protege Maiorca dos ventos frios do norte. A cordilheira também é um sonho para os caminhantes. Paisagens rochosas e vistas de tirar o fôlego, bem como pequenas enseadas escondidas e grutas, são as recompensas que aguardam aqueles que gostam de andar a pé.

Passear pelas bonitas ruas de Valldemossa é um prazer e você vai se deparar com cafés, galerias de arte e bons restaurantes. Diz-se que a Santa Catalina Thomas de Maiorca nasceu em Valldemossa e, por isso, muitas das casas da vila têm uma placa com as suas orações.

Port Valldemossa não é um lugar espetacular em si, mas a viagem vale a pena. A estreita estrada que desce até este pequeno porto tem vistas incríveis. Fora isso, não há muito mais para ver na pequena vila de pescadores, a não ser uma pequena praia de seixos e um restaurante.

Longe dos centros turísticos, Maiorca é paz e tranquilidade. Podemos sentir isso em lugares como Deià, uma charmosa vila de montanha cercada por oliveiras, limoeiros e amendoeiras. O local não possui grandes hotéis e resorts, apenas hotéis boutique, pequenos e exclusivos. As galerias da vila são obrigatórias para todos os entusiastas da arte e vale a pena subir a colina até à Igreja de São João Batista para apreciar a vista. O compositor Andrew Lloyd-Webber é um dos habitantes ilustres de Deià, mas o seu casarão cor ocre atrai regularmente famosos como Bruce Willis, Leonardo Di Caprio, o chef de cozinha Jamie Oliver e outras personalidades que atracam os seus iates na Cala Deià.

Cala Deià é uma pequena praia rochosa, de águas cristalinas, nos arredores de Deià. Na descida para a praia está a Rota de La Piedra en Seco, que liga Deià a Pollença, uma trilha espetacular com vistas deslumbrantes da costa de Maiorca.

Continuando pela estrada costeira, finalmente está Sóller. Localizada num rico vale de laranjeiras, cercada pelas montanhas mais altas de Maiorca, Sóller é um destino popular entre os turistas e muitos chegam através do histórico elétrico de Sóller (tranvía de Sóller). O local é também ponto de partida para os amantes do trekking, que estão ávidos para explorar os diversos itinerários disponíveis.

A Igreja de São Bartolomeu, Port de Sóller e a sua aldeia de pescadores merecem igualmente uma visita, e um passeio de barco nesta região oferece uma perspectiva diferente da Serra Tramuntana.

Rumo ao norte, a paisagem intocada começa a ficar cada vez mais espetacular. Torrent de Pareis — um desfiladeiro natural que possui uma praia cercada por penhascos, com águas claras — é um dos cenário mais belos.

 

Logo após o lago Gorg Blau, há uma saída para Torrent de Pareis. É uma caminhada de uns 20 minutos, mas vale a pena, principalmente ao fim do dia, para ver o pôr do sol.

Para mais um pôr do sol épico, vale dar um pulo na bonita península Cap de Formentor e visitar o Mirador d’es Colomer, situado a mais de 300 metros acima do nível do mar.

De Cap Formentor é fácil chegar a Pollença, mas, antes, vale a visita nas grutas de Maiorca. São cinco grutas e a de destaque vai para Cuevas del Drach.

Para finalizar, a Palma, a sua capital, merece uma visita. O seu centro histórico está recheado de tesouros como a Catedral, o Palácio de La Almudaina e os Banhos Árabes. Os museus, as lojas, os bares e os restaurantes são um convite para mergulhar na cultura maiorquina.

 

Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

Petro Pupe: ‘A verdadeira simplicidade é o princípio da elegância’

Próxima Publicação

Domingos Antunes entrevista o ator Leonardo Miggiorin

321 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.