André Conrado e a bela São Salvador da Bahia - última parte: 'Basílica Nosso Senhor do Bonfim e sua fé sem fim'

Igreja Nosso Senhor do Bonfim Séc XIX - IMS

Maior ícone baiano da união entre o candomblé e a religião católica.

Dando sequência essa nossa linda viagem na história em solo baiano, berço da história brasileira, hoje é dia de falar de religiosidade e contar um pouco da história de uma Igreja tão mística para todos os baianos e muitos brasileiros.

A construção da belíssima Igreja do Senhor do Bonfim, em Salvador, foi iniciada em 1754 e finalizada quase 20 anos depois.

Igreja Nosso Senhor do Bonfim - Primeiras Fotos

De arquitetura colonial portuguesa, com duas torres sineiras laterais, ela chama muita atenção por suas dimensões e pela posição de destaque em que foi instalada, na Sagrada Colina; mas o que mais chama atenção é a grande energia de muita fé que toma conta do belo lugar.

Igreja N Senhor do Bonfim - IMS
Cartão Igreja N Sr Bonfim Sec XIX - Salvador Antiga

É uma das mais tradicionais Igrejas da cidade e um dos maiores símbolos do sincretismo religioso local. Conhecida pela fé dos católicos no padroeiro da cidade, ela representa elementos do candomblé, onde o Senhor do Bonfim se une a Oxalá, pai de todos os Orixás.  Essa fusão de religiões pode ser observada na Lavagem do Bonfim, ritual que acontece todo mês de janeiro, quando as baianas vão em cortejo até a Igreja, ao som de cânticos africanos, para lavar sua escadaria com água de cheiro.

Igreja N.Senhor do Bonfim e o candomblé

Considerados amuletos, as famosas fitinhas do Senhor do Bonfim são uma tradição de Salvador. Deve-se amarrar a fita no pulso ou na perna e dar 03 (três) nós, e cada nó representa 01(um) desejo. Quando a fita se romper, significa que os pedidos serão atendidos.

Com essa história de tanta fé e religiosidade, encerramos nossa serie de matérias sobre a Bahia com muita alegria, e esperança em dias melhores para todos nós , e que a Primeira Capital do Brasil, tão amada e linda por todos nós, continue emanando essa energia única e brilhando com muita luz para todos os povos.

Ladeira da Barra 1860 - Salvador Antiga

Com o coração já com saudade, damos um “até breve a Salvador”, e na próxima semana teremos a honra de chegar a uma cidade não menos encantadora. Desta vez chegaremos a belíssima e histórica Petrópolis, a cidade Imperial, na encantadora Serra Fluminense, que guarda a história do grande Imperador Dom Pedro II e sua família. Afinal a cidade tem seu nome: em latim “Petrus” (Pedro) e “Polis” (Cidade) – Cidade de Pedro.

Familia Imperial Petropolis 1888- Arquivo Nacional

Não percam. Aguardo todos vocês nessa bela viagem!

Fontes: UFBA

Instituto Moreira Salles

Arquivo Nacional 

Salvador Antiga

Arquidiocese de Salvador 

Publicação Anterior

Xandy Novaski entrevista o ator Adriano Arbol

Próxima Publicação

Confira a lista com 13 restaurantes vegetarianos entre os melhores do mundo em 2020!

347 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.