André Conrado apresenta Petrópolis, a cidade de Pedro - Parte 3: Cidade Imperial

Palácio de Cristal- JARDIM - Séc XIX - IMS

Av. Koeler e Palácio de Cristal

Nesta linda edição convido a todos continuar na belíssima Cidade Imperial, mais precisamente na Av Koeler e seguiremos para o mágico Palácio de Cristal.

Entrada do Palácio de Cristal - Sec XIX -Arquivo Imperial

Não poderíamos deixar essa majestosa avenida sem contar um pouco sobre o Palácio Rio Negro.

Palácio Rio Negro - Atual -Dominio Publico

A cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro, abriga hoje um dos monumentos mais bonitos do Brasil: o Palácio Rio Negro, um museu dedicado à memória da República em terras imperiais. Construído em 1889 para ser a residência do Barão do Rio Negro, rico comerciante de café, foi incorporado pelo Governo Federal em 1903.

A partir da gestão de Rodrigues Alves, o edifício passou a ser a residência oficial de verão dos Presidentes da República em Petrópolis. Desde então, recebeu dezesseis de nossos presidentes, entre eles Rodrigues Alves, Afonso Pena, Nilo Peçanha, Hermes da Fonseca, Wenceslau Brás, Epitácio Pessoa, Artur Bernardes, Washington Luiz, Getúlio Vargas, Gaspar Dutra, Café Filho, Juscelino Kubitschek, João Goulart e Costa e Silva

Palácio Rio Negro - Casamento de Nair de Teffe - Fon Fon

A presença republicana na cidade de Petrópolis manteve-se viva até a fundação de Brasília. Entre as décadas de 1970 e 1980, o palácio não recebeu nenhum presidente. O Palácio Rio Negro, vinculado ao Museu da República/Ibram, integra o Percurso da Memória da cidade de Petrópolis.

No andar térreo, o trabalho de restauração revelou a decoração original do piso de madeira: os pés de café, símbolo da riqueza do Barão do Rio Negro. 

Exposição de Petrópolis - Palácio de Cristal - Sec XIX - Arquivo Nacional

Embarcando novamente nos tempos e nos ares imperiais, vamos seguir para o belo e mágico Palácio de Cristal.

A intenção do Conde  D’Eu ,marido da Princesa Regente, era presentear Isabel, a fim de poder cultivar suas hortaliças.

Princesa Imperial Isabel e Conde D'Eu - Arquivo Nacional

Um dos pontos turísticos mais famosos de Petrópolis e endereço de sua principal festa, a Bauernfest, o Palácio de Cristal foi inaugurado em 1884, com a finalidade de abrigar exposições de produtos hortícolas e pássaros da região, que aconteciam em instalações provisórias no local.

Palácio de Cristal - Séc XIX - IMS

De acordo com informações do Iphan, a Praça Koblenz ou da Confluência é uma das principais praças previstas no plano urbano de Petrópolis de autoria do Major Júlio Frederico Köeler. Densamente arborizada, recebeu por certo tempo o nome de Passeio Público, sendo local de realização de exposições hortícolas, nos anos de 1875 a 1877.

Para melhor abrigar estas exposições que se tornaram constantes, Conde D’Eu, então presidente da Sociedade Agrícola de Petrópolis, encomendou uma estrutura pré-moldada em ferro a uma fundição francesa, que foi montada em Petrópolis pelo engenheiro Eduardo Bonjean, para servir como pavilhão para tais exposições que a Sociedade já vinha promovendo.

No dia 2 de fevereiro de 1884, o Palácio foi inaugurado com um grandioso baile, que contou, inclusive, com a presença maciça de toda a Corte Imperial brasileira. Em abril do mesmo ano, foi realizada a 4ª Exposição promovida pela Sociedade Agrícola e Hortícola de Petrópolis, que se repetiram anualmente até 1886 (veja fotos abaixo).

Em abril de 1888, lá foi celebrada a “Festa da Liberdade”, isto é, a extinção da escravidão em Petrópolis. Na ocasião, a Princesa Isabel entregou solenemente 103 títulos de liberdade aos últimos representantes do cativeiro na cidade.

Palacio de Cristal - Petrópolis - sec XIX - IMS

Mais uma demonstração de quanto nossa Princesa Imperial Regente era magnifica e com certeza teria sido uma grande Imperatriz.

Na próxima edição seguiremos para a histórica e bela Avenida Ipiranga e a Catedral de Petrópolis! Onde o Imperador Dom Pedro II juntamente com toda família repousa.

Projeto Catedral de Petrópolis - Arquivo Imperial
Tumulo Imperador D. Pedro II - Dominio Público

Não Percam essa linda viagem na história!

Fontes:  

Arquivo Nacional.

IPHAN

Arquivo Imperial 

Arquivo Pessoal

Instituto Moreira Salles.

 

Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

Xandy Novaski entrevista o professor de matemática e escritor Osiris Roriz

Próxima Publicação

Txai Resort Itacaré apresenta Bangalô Premium

Um comentário

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.