Kênia Esteves entrevista o professor de educação física Lucas Oliveira

Reprodução da internet

Olá, amigos! Para iniciar minha participação na REVISTA do VILLA, escolhi as fontes de inspiração que acredito serem importantes em minha jornada. São pessoas e lugares especiais que optaram por viver no Sul da Bahia.                                                                   Local que tem um céu mágico, um sol incrível e um mar lindo, de temperaturas agradáveis, noites de Lua Cheia apaixonantes e uma brisa contínua que nos remete, mesmo em momentos de trabalho e desafios intensos, ao DOLCE FAR NIENTE.                                                           

E por falar dessas maravilhas e desafios que serão agregados ao turismo local, convido o Professor de Educação Física, LUCAS OLIVEIRA.                                              

Prestes a completar 29 anos, esse mestre reúne em seus treinos al mare, uma turma heterogênea e cheia de disposição.  Homens, mulheres, adolescentes ou não; atletas ou não, se autodesafiam a cada manhã de sábado.                                                

E claro, que fui conferir de perto e participar dessa vivência tão especial, antes de convidá-lo para nossa entrevista.  

K.E. – Lucas, qual a sua ótica em relação à prática esportiva ao ar livre em corredores turísticos?                                                              

L.O.- Estabelecer na sociedade uma conexão entre a consciência coletiva e a natureza, em que irá proporcionar benefícios, funcionais e emocionais, nunca antes sentidos.                                                                  

K.E. – Então, falamos de uma vivência diferenciada, que tanto o morador quanto o visitante da Costa do Descobrimento, poderão participar?               

L.O. – Sim. Quando o foco é abranger grupos heterogêneos, incentivamos a democratização do esporte em geral, não apenas da natação.                                             

K.E. -Você acredita que essa é uma nova forma de interagir e integrar a todos?            

L.O. – Com certeza! O turista se sente “em casa” e acolhido ao poder dar continuidade aos seus treinos. Seja por hobby ou por identidade. Ou até mesmo por querer ter uma nova experiência em sua viagem.                       

Porto Seguro. Reprodução da Internet

K.E. – Você se refere a Natação no Mar?        

L.O. – Claro! A praia é um ambiente democrático, assim como o esporte, que cresce a cada dia.                                                 

K.E. – Vejo que essa prática já acontece com o devido sucesso, Lucas. Sinal que teremos mais desafios pela frente?                 

L.O. – Fato! Acabamos de realizar um desafio de 5 km, no qual um grupo restrito de nadadores residentes em Porto Seguro saiu com a devida segurança do Parque Marinho de Recife de Fora e seguiu até a costa. Foi sensacional!                                        

K.E. – Podemos dizer que uma nova logística para dar boas-vindas ao nosso turista está sendo lançada?                               

L.O. – Certo! PORTO SEGURO está a caminho de se tornar referência no cenário nacional. Suas belezas naturais, condições geográficas e atrativos culturais desportivos , associados aos profissionais e órgãos competentes, prometem encantar e fortalecer laços afetivos entre moradores e visitantes, bem como a saúde ao lifestyle de cada um.                                            

Obrigada, prof: LUCAS OLIVEIRA por agregar seus conhecimentos e projetos a minha primeira coluna, e até o próximo treino.                                                                               

Abraços a todos e os aguardo em breve para boas braçadas e pernadas AL MARE…

Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

Fernando Torquatto é o padrinho da 14ª edição da Campanha do Bem, parceria da Fiszpan com o INCAvoluntário

Próxima Publicação

Xandy Novaski apresenta o Calçadão da XV em Curitiba

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.