Três locais obrigatórios para fotografar em Sevilha

Em Sevilha, cidade andaluza, berço do Flamenco com um importante patrimônio histórico-cultural de beleza secular, edifícios como a Torre del Oro, o Archivo General de las Indias, a Catedral e a Giralda de Sevilha, o Palácio real de Sevilha, a Plaza de Espanã e, mais recentemente, o Metropol Parasol são visitas obrigatórias. 

Os ecos da civilização islâmica estão um pouco por toda a parte nesta região e, em especial, na cidade de Sevilha. Se Lisboa deu Novos Mundos ao Mundo, Sevilha construiu o Novo Mundo. Portanto, deixamos aqui, três sugestões fotográficas imperdíveis para visitar na capital da região espanhola da Andaluzia:

1. Catedral Gótica e La Giralda de Sevilha

Um hino à beleza arquitetônica  das civilizações Islâmica e Cristã com 104,1 metros de altura! A Catedral de Sevilha, maior templo gótico do Mundo, é uma obra colossal. Por isso, este templo monumental é  considerado, desde 1987, Património Mundial da Unesco.

Embora grande parte dos símbolos do islã tenham desaparecido ou sido cristianizados ao longo dos anos, a influência moura ainda é bastante evidente na Catedral de Sevilha. Em especial no Pátio de los Naranjos, um jardim de laranjeiras que, antigamente, servia de local para ritos e festas islâmicas, e a torre La Giralda, minarete do século 12 transformado em campanário, que é um dos cartões-postais mais conhecidos da cidade. Sobre ela, há até um dito popular que diz que “não se sabe se foram os homens que a construíram para subir aos céus ou os anjos para baixarem à terra”.

2. Jardins do Real Alcázar de Sevilha

O Real Alcázar de Sevilha é um dos mais antigos complexos palacianos do continente europeu. Construído no séc. VIII, sob alicerces romanos, pelos descendentes do profeta Maomé e, posteriormente, aumentado pelos reis cristãos de Castela. Foi declarado Património Mundial da UNESCO em 1987. Nas 5.ª e 6.ª temporadas de “Game of Thrones” (GOT), é o cenário da exuberante Casa Martell, com as suas exóticas fontes e os jardins frondosos do “Water Gardens of Dorne”. Os salões, os pátios e os jardins dão cor e forma à residência palaciana dos governantes do reino de Dorne: a cidade de Sunspear. O Patio de las Doncellas, a Sala de los Embajadores, Baños de Maria Padilla e os jardins são locais cinematográficos nos transportam para a época do al-Andalus e para a beleza arquitetônica  da Civilização Islâmica na Península Ibérica. Um exemplo da mescla cultural entre muçulmanos e cristãos que deu origem a um estilo artístico: a arte mudéjar.

3. Ruínas da antiga cidade romana de Itálica

Da ficção para a realidade. Localizada em Santiponce, nas proximidades de Sevilha, a antiga cidade romana de Itálica. Foi a primeira cidade romana fundada na Península Ibérica pelos Romanos, no ano 206 a.C. Aqui nasceram os Imperadores Adriano e Trajano. O antigo anfiteatro romano tinha uma capacidade para 25 mil espectadores, além dos dez a quinze mil habitantes de Itálica. A plateia deliciava-se com as gloriosas e sanguinárias lutas de gladiadores na arena. Durante a 7.ª temporada de GOT,  a “DragonPit” foi o local de encontro entre a rainha-mãe Cersei e a mãe dos Dragões Daenerys Targaryen, após uma entrada de assustadora beleza do grandioso Drogon. A escolha para visitar este local não foi feita ao acaso. Trata-se do terceiro maior anfiteatro da Roma Antiga, fora da Península Itálica.

 

Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

André Conrado apresenta Brasília – Parte 2: terceira capital do Brasil – Sonho de um desbravador

Próxima Publicação

Botanique será o primeiro hotel de luxo da Six Senses no Brasil

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.