André Conrado apresenta São Paulo: A Grande Metrópole - Parte 3

Construção do Monumento (Museu) Ipiranga 1888 - USP

A história da Independência do Brasil: o Museu do Ipiranga

Voltando nesta bela viagem a “Grande Metrópole”, não poderíamos deixar de contar a linda passagem da Independência do Brasil, que foi proclamado pelo Imperador Dom Pedro I em solo paulista.

cidade de São Paulo é composta por muitas e grandes curiosidades. Não é todo mundo que sabe, mas o Museu do Ipiranga, na verdade, tem outro nome. Sua verdadeira denominação é a de Museu Paulista e ele surgiu como uma maneira de homenagear a independência do Brasil no local de sua proclamação em 1884.

Rara Foto Séc XIX Construção Museu do Ipiranga - Único prédio visível na época na região

O museu é um dos cartões postais da cidade. Seu prédio é imponente e suas instalações guardam grande parte da história do Brasil. Comecemos por sua construção. Sua trajetória é iniciada com o Barão de Iguape, que pediu uma autorização a D. Pedro I para construir um monumento que fosse uma homenagem à Independência do Brasil. O local escolhido pelo barão foi o sítio do “Piranga”, como era conhecido o Ipiranga na época.

Independencia Pedro I - Ipiranga - Arquivo Nacional

Entretanto, pela falta de recursos a obra ficou parada por vários anos, até que a chamada Comissão Provincial para o Monumento do Ipiranga decidiu criar um modo para que o monumento fosse erguido. A solução adotada pelos mandatários foi, então, a de lotear o Ypiranga para arrecadar fundos.

Após muito esforço, sugestões, debates e discussões sobre como seria feito o monumento ficou decidido, em 1884, que o arquiteto italiano Tommaso Gaudêncio Bezzi seria o responsável pelo desenvolvimento do projeto. A construção em si só ,começou em 1885 e demorou seis anos para ficar pronta.

O prédio incompleto foi declarado propriedade do Estado e foi aberto ao público como Museu Paulista em 7 de setembro de 1895, em uma solenidade aberta pelo então presidente Bernardino de Campos. Em 1909, o paisagista Arsênio Puttemans criou os jardins à frente da construção, uma réplica em proporções muito menores dos jardins do Palácio de Versailles, a principal sede da monarquia francesa.

O acervo é bem extenso e tem mais de 125 mil peças, entre mobiliários, trajes e utensílios que pertenceram a figuras da história brasileira como bandeirantes, imperadores e barões paulistas do café. Também existem diversas coleções como peças da Revolução Constitucionalista de 1932, armas brancas e uma sala reservada a Santos Dumont, pioneiro da aviação. Vale o destaque que essa sala tem maquetes de seus aparelhos e objetos de seu uso pessoal, uma verdadeira aula da aviação brasileira e de um dos nossos grandes inventores.

Edificio e Monumento do Ipiranga 1930 - USP
Alberto Santos Dumont

Há também um espaço dedicado aos livros. A biblioteca do Museu Paulista é composta por mais de cem mil volumes, um Centro de Documentação Histórica com 40 mil manuscritos e laboratórios de conservação e restauração de peças e documentos.

 O Museu Paulista foi inaugurado em 7 de setembro de 1895 como museu de História Natural e marco representativo da Independência, da história do Brasil e paulista. Seu primeiro núcleo de acervo foi a coleção do Coronel Joaquim Sertório, que constituía um museu particular em São Paulo. No período em que a independência do país completou 100 anos, em 1922, o caráter histórico do museu foi reforçado.

Cripta Imperial é mergulho na história

Cripta Imperial - atual - Dominio Público

Descer as rampas laterais do Monumento à Independência significa mergulhar ainda mais na história do País. Isto porque o local guarda em seu interior os restos mortais do Imperador D. Pedro I e de suas duas esposas , D. Maria Leopoldina de Habsburgo e D. Amélia de Leuchtenberg.

Imperador Pedro I e Imperatriz Leopoldina de Habsburgo - Arquivo Nacional

Mas, para vivenciar este capítulo da história, é preciso deixar o ar fresco das áreas verdes do parque e se aventurar no ar sombrio da Cripta Imperial inaugurada, em 1952,  quando consecutivamente, os nobres foram trazidos de Portugal , e mergulhar na bela história do nosso país e do Imperador chamado de “Libertador” responsável pela independência de nosso país!

D.Pedro I e D. Amélia - Arquivo Nacional
Museu Ipiranga atual - Dominio Publico

Não percam a próxima e ultima edição da série de matérias na Grande Metrópole! Esta imperdível!

Fontes:

Museu do Ipiranga

Arquivo Nacional 

 Arquivo Histórico de São Paulo

USP

Publicação Anterior

Joacles Costa: artista plástica Leda Risse cria galeria de arte virtual

Próxima Publicação

Lalow declara aberta a temporada de natal

502 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.