Xandy Novaski entrevista o ator Lilo Moreira

LILO MOREIRA - Crédito Arquivo Pessoal

LILO MOREIRA é conhecido pelas participações em novelas da Rede Globo, como “A Força do Querer”, “O Outro Lado do Paraíso” e “Orgulho e Paixão”. Eternamente grato a quem lhe ajudou nessa caminhada pela arte de interpretar, o rapaz está sempre disposto a enfrentar os novos desafios da carreira. Conheça mais sobre a trajetória de vida do ator e se encante com sua simplicidade e força de vontade para alcançar seus objetivos!

1) Começo com um parêntese bastante comum no meio, que é o nome artístico. Há quem abrevie ou mesmo busque por apelidos, outros mudam totalmente o nome e sobrenome… No seu caso, como nasceu a assinatura Lilo Moreira?

Foi um apelido que achei que funcionava como nome artístico porque o meu nome não é muito comum. É o nome do meu avô Elicio Moreira e um nome curto é mais fácil das pessoas gravarem. Então, Lilo Moreira está registrado pelo Sated do Rio de Janeiro. Eu sou o único ator com esse nome artístico.

LILO MOREIRA - Crédito Arquivo Pessoal

2) Quando você decidiu pela arte de interpretar?

A arte de interpretar está na minha vida desde criança. Quando adolescente eu já buscava fazer teatro. É um dom que veio dentro de mim.

3) Quais foram as maiores dificuldades encontradas durante essa trajetória?

Difícil foi deixar a casa em Salvador, a minha cachorrinha Lika que sempre viveu comigo e me mudar para morar no Rio de Janeiro.

4) A gente sabe que há percalços no início da profissão, mas também existem as pessoas que nos ajudam. Quem você gostaria de agradecer? 

Quero agradecer pessoas incríveis: a minha colega do curso de interpretação para TV da Escola Wolf Maya, Mariana Vilela, um amigo do teatro, o Célio Costa, uma grande amiga do teatro Satyros de São Paulo, a Irlane Galvão, um professor de teatro incrível, o Deo Garcez, e a Dani Melo que me chamou para uma gravação em “A Força do Querer” onde tudo começou. Fui assistir uma cena gravada na Lagoa, Rio de Janeiro, e  partir daí eu fui descoberto pelo produtor Rafa.

LILO MOREIRA em cena na novela O Outro Lado do Paraíso - Crédito Arquivo Pessoal

5) Em 2017 você esteve em dois trabalhos marcantes, “A Força do Querer” e “O Outro Lado do Paraíso”. O que permanece daquela época tão importante para sua carreira?

Nesse ano eu estava realizando um sonho: minha primeira participação com fala numa novela da Rede Globo.  Literalmente um sonho, pois anos atrás eu havia sonhado com a autora Glória Perez. Então, foi algo surreal na minha vida.

6) “A Força do Querer” está no ar novamente. Como é rever um personagem construído há 03 anos? Você faria algo diferente ou não?

Foi muito gratificante fazer uma participação, mesmo que pequena, com uma atriz tão querida: a Mariana Xavier. Na cena tenho que paquerar ela no calçadão da praia fazendo com que a personagem eleve sua autoestima, pois ela será uma modelo Plus Size na novela. Fiquei feliz por ter sido dirigido pelo diretor Pedro Vasconcelos, me senti lisonjeado, recebi elogios do mesmo na minha primeira cena numa trama da Rede Globo.

7) Em “O Outro Lado do Paraíso” você viveu o Robertinho, amigo do Gael (Sérgio Guizé). Podemos dizer que há o antes e o depois após sua participação nesse folhetim?

Bem, a minha participação como amigo do Gael na novela “O Outro Lado do Paraíso” foi incrível porque eu só seria um ator convidado para fazer um garçom e fui escolhido pela Assistente de Direção. Na hora da cena o ator Sérgio guizé me deu o nome de Robertinho. Foi numa cena em um bar. Fui tão bem tratado pelo ator que parecia ser amigo dele de verdade. O Sérgio me deu dicas de posicionamento na cena para que eu aparecesse naquele minutinho de fama.

LILO MOREIRA em cena na novela Orgulho e Paixão - Crédito Arquivo Pessoal

8) “Orgulho e Paixão”, escrita por Marcos Bernstein, foi uma novela de época que encantou o público cativo e também contou com a sua participação. Qual é a diferença em trabalhar numa trama contemporânea (como a novela da Glória Perez e a outra do Walcyr Carrasco) e numa outra que, inclusive, foi inspirada em vários romances da autora Jane Austen?

“Orgulho e Paixão” foi uma surpresa para mim que eu nunca esperava ser chamado para fazer participação como um policial de época. Tive o prazer de contracenar com Alessandra Negrini, que me chamava de Sr. Garboso.  Mas as tramas contemporâneas sempre me encantaram, principalmente as do Walcyr Carrasco que eu acho um gênio da dramaturgia.

9) O que você tem a dizer aos jovens atores que encontram as dificuldades semelhantes às suas e que pensam em desistir da carreira?

É super difícil uma carreira de ator com seus altos e baixos. Eu corria muito atrás no intuito de ser chamado para fazer uma pequena participação, dessas que tivesse uma relevância na cena, nem que falasse apenas uma palavra. Tem que se acostumar, até portas que se fecham, mas também tem as que se abrem. E se você ama fazer arte, como diz FERNANDA MONTENEGRO, se te dá uma inquietude de não estar atuando, é porque você verdadeiramente é artista. Nunca vou esquecer as palavras dessa grande ATRIZ em uma das suas entrevistas. Fica a dica para os atores que estão iniciando.

 

LILO MOREIRA - Crédito Arquivo Pessoal
Publicação Anterior

Conheça o Costa Firenze, novo navio da Costa Cruzeiros

Próxima Publicação

André Conrado apresenta Gramado – A Cidade do Natal Luz!

3.242 Comentários