Sérgio Mattos entrevista a modelo Olga Karam em homenagem ao Dia Nacional da Visibilidade Trans

Em nosso país, a luta da população trans ganha um símbolo: o Dia Nacional da Visibilidade Trans, celebrado nesta sexta-feira, 29 de janeiro, instituído a partir de 2004 para lembrar o dia em que pessoas trans e travestis foram à Brasília, pela primeira vez em ato organizado para lançar a campanha “Travesti e Respeito”, junto ao Congresso Nacional.

Hoje, modelos trans vem cada vez mais, ocupando seu merecido espaço nas passarelas e no showbiz. A 40 Graus, que sempre abraçou a diversidade, continua buscando um casting diverso que possa garantir a representatividade dos modelos trans para que se tornem, cada vez mais, referências em passarelas, campanhas e editoriais de moda.

Por isso, hoje na coluna, bato em papo com a bela Olga Karam, 22 anos, 1.78 de altura, bem fashion e com medidas perfeitas para passarela. Tenho certeza que vai ser uma estrela. Já em sua estreia fotografou com o badalado Mario Testino e participou do meu workshop no último fim de semana. 

Além da bela Olga, quero citar o modelo trans Bernardo Rabello, o primeiro homem transexual a fazer parte do casting da 40 Graus. Bernardo chamou a minha atenção durante o concurso de beleza Mister Rio de Janeiro, pela sua beleza e personalidade, quando o convidei para fazer parte do time de modelos da 40 Graus!

Bernardo Rabello

O caminho é árduo, sem dúvida, na moda, esse é um processo de evolução. Mas no que depender de mim, estarei sempre dando a minha contribuição para que os modelos trans conquistem cada vez mais novos espaços. 

Conheçam um pouco mais da newface da 40 Graus! 

1 – Como surgiu a vontade de ser modelo?

Eu não posso dizer que veio desde sempre. Algumas meninas falam que desde pequenas sempre gostaram de tirar foto, dar close, etc. No meu caso, mesmo admirando secretamente esse universo, eu nunca considerei que eu pudesse me inserir nele. Por ser uma menina trans, cheia de medos e por ter pouca informação na época, eu acabei me fechando muito quando criança, como uma forma de me preservar. Me tornei uma criança muito tímida, muito introspectiva, tudo que uma modelo não pode ser… 

Mas dai, com o tempo, já adulta, e depois de ter assumido minha identidade trans, eu acabei me soltando um pouco mais, criei um instagram, comecei a montar uns looks pra dar close, até que um amigo nosso em comum viu minhas fotos e começou a “botar pilha” pra eu ser modelo. Como, hoje em dia, o mercado de moda parece estar mais aberto a pessoas com uma estética mais exótica acabei me animando. 

2 – Como foi pra você participar do meu Workshop?

Participar do Workshop para New Faces foi incrível! Me diverti muito e aprendi bastante também, acho muito importante para os modelos que estão começando passarem por essa experiencia, me ajudou a me soltar muito mais, fiz amizades novas, enfim foi uma experiencia bastante positiva. Gostei bastante.

3 – O que você espera da carreira daqui pra frente fazendo parte do casting da 40 Graus?

Ah! Eu espero trabalhar muito hahaha, e já estou super animada. Quero fazer muitas fotos, desfilar, e no futuro, quem sabe tentar uma carreira lá fora. Acho que na 40 graus, sob a sua orientação, as minhas chances de ser bem sucedida no mercado fashion aumentam muito, afinal de contas é Sergio Mattos, né? Além da sua bagagem, de já ter lançado várias celebridades, você é super atencioso e sempre me tratou super bem. É muito bom tê-lo como agente e fazer parte desse casting incrível da 40 graus.

Publicação Anterior

Milena Wydra: ‘A venda casada e sua proibição legal’

Próxima Publicação

Braga concorre a melhor Destino Europeu de 2021, em evento promovido pela European Best Destinations

1.267 Comentários