Singapura: um destino fascinante

Singapura, além de um destino turístico, também é “ponte”para muitos turistas fazerem rápidas paradas entre destinos do ocidente e oriente. Ao desembarcar no movimentado Aeroporto de Changi, um dos maiores (e melhores) aeroportos do mundo, o que se encontra é uma reunião de culturas, costumes e tradições com uma parte gastronômica riquíssima. Aliás, uma atração à parte, Singapura possui vários restaurantes estrelados e considerados os melhores do mundo. Ou seja, a lista de opções é extensa – para mais uma viagem.

A prosperidade de Singapura sofreu um duro golpe durante a Segunda Guerra Mundial, quando foi atacada pelos japoneses e rebatizada de Syonan-to (ou “Luz da Ilha do Sul” em japonês). No fim da guerra, em 1945, a ilha foi entregue à Administração Militar Britânica e mais tarde à Coroa Inglesa. Em 1963, integrou a Federação da Malásia, mas a fusão correu mal e dois anos depois Singapura abandonou a Federação e transformou-se numa nação independente e soberana.

Hoje, esse passado multicultural, colonial e de guerra está preservado dentro e ao redor da cidade e pode ainda ser sentido nas ruas, observado nos edifícios ou visitado em museus, monumentos e memoriais. Principalmente em lugares como Chinatown, Little India ou Arab Street.

E também o Buddha Tooth Relic Temple and Museum, da dinastia Tang, um templo budista chinês com o interior impressionante, repleto de budas dourados, somando quase 2kg de ouro e pedras preciosas. O único templo que tem a imagem do Buddha feliz, trazida da Índia, entre os 100 budas de seus interiores. O seu curioso nome deve-se à relíquia de um dente que se diz ter pertencido a Buda. Esta relíquia está guardada numa estupa (espécie de pagode) feito de 320 kg de ouro e apenas os monges tem acesso a ela. Os visitantes, no entanto, podem ver a relíquia do dente da área de exibição pública.

Atrás do templo fica um dos melhores lugares para comer em Singapura — o Chinatown Food Center Complex. Ainda vale visitar os bairros típicos: Little Índia e Chinatown, onde está localizado o mais antigo templo hindu da cidade (1827), The Sri Mariamman Temple, com sua fachada colorida e detalhista. Chinatown, Little India é uma das áreas mais coloridas da cidade. 

O pôr do sol pode ser desfrutado do alto da Singapore Flyer, uma roda gigante de 165 metros de altura, com cápsulas de vidro, muito usadas para festas e despedidas – ou até um chá (tem uma cápsula para o chá da tarde). A Moët & Chandon Champagne Flight possui uma especial, com serviço de champagne, toda caracterizada. A volta dura meia hora.

Para compras, a Orchard Road é a maior concentração de shoppings de luxo. Ao caminhar pela linda avenida, é possível entrar em vários seguidos, e encontrar grande parte das grifes de luxo do mundo. Além de compras, reúne restaurantes, bares, danceterias e cafés. Se a intenção é fazer compras, vale um dia inteiro.

Antes ou depois do jantar, uma opção é ver o show de luzes do Marina.

Publicação Anterior

Primeira aeronave da Itapemirim Transportes Aéreos chega ao País

Próxima Publicação

Joacles Costa entrevista a atriz Preta Rê, que participa da próxima novela das 18h, da Rede Globo, ‘Nos tempos do Imperador’

319 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.