Nelma Canellas: champagnes e espumantes - Parte Final

Arquivo pessoal

A harmonização dos sabores

Via de regra, a harmonização dos espumantes é feita com base na sua concentração de açúcar, mas é importante que se leve em consideração também o perfil de sabor da uva.  Para facilitar as escolhas, use a mesma regra geral dos vinhos tranquilos: quanto mais forte a bebida, mais intenso deve ser o prato que a acompanha. O mesmo vale também para os espumantes doces harmonizados com sobremesas.

Os espumantes são bebidas refrescantes e leves e, assim como os vinhos, são diferenciados de acordo com a quantidade de açúcar presente. E, da mesma forma que as outras bebidas originadas da uva, devem ter essas características observadas para que possam ser apreciadas corretamente. Portanto, confira as  recomendações com diferentes pratos e inspire-se!

Arquivo pessoal

Entrada

A entrada é o início da refeição e funciona como um convite para o prato principal, servido a seguir. Por isso, as entradas costumam ser leves e apetitosos. Dessa forma, o espumante deve acompanhar o estilo do acompanhamento. Além disso, esse momento combina com uma bebida de acidez e leveza na medida certa — pois elas são perfeitas para abrir o apetite.

Uma salada com camarões, por exemplo, pode ser harmonizada com um espumante brut. Se a opção for servir uma entrada à base de carne, como um carpaccio, opte por um espumante Rosé. Para caviar ou canapés, um Prosecco italiano vai bem. Se a entrada for à base de frutas secas e oleaginosas, como castanhas, opte por um espumante seco.

Arquivo pessoal

Prato principal

Por ser uma bebida leve, é interessante que o prato principal siga o mesmo estilo. Portanto, evite combinações com carnes vermelhas e molhos de sabor acentuado, pois são mais difíceis de acertar. Peixe e frutos do mar com molhos mais encorpados e suaves, como salmão, lagosta, linguado e camarão, harmonizam com bons espumantes Blanc de Noir* e Vintage**. Ambos têm complexidade e estrutura que combinam perfeitamente com carnes leves.

Arquivo pessoal

Sobremesa

Combinada com um bom vinho espumante, a sobremesa pode fechar a refeição com classe e sofisticação. Como elas têm um sabor adocicado muito mais marcante do que o restante dos pratos servidos, as opções ideais são os champanhes e espumantes com concentração de açúcar mais alta.

Sobremesas com creme de baunilha, panetones tradicionais — com frutas cristalizadas — e rabanadas, por exemplo, combinam com um espumantes Demi-sec . Porém, é preciso dosar a doçura dos pratos, pois nem todos são indicados com esse estilo de bebida.

Seja um espumante demi-sec ou nature, produzido pelo método Charmat ou Champenoise, há opções para todos os gostos. Agora que você conhece toda a riqueza dos espumantes, é hora de experimentar cada um e escolher seus favoritos!

Santé 

🥂

*Blanc de Noir, Significa que ele é um espumante branco produzido somente com uvas tintas, nesse caso, a Pinot Noir.

** Vintage, significa aquele que teve uma colheita excepcional. um Vintage Champagne deve ter 100% das uvas colhidas naquele ano. E pode ser armazenada por oito a dez anos da data da colheita.

Arquivo pessoal
Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

AMResorts aterrissa em novo destino no México

Próxima Publicação

André Conrado: Belém do Pará, a alegria e beleza da cidade morena! Parte 3

78 Comentários

Deixe uma resposta para vreyro linomit Cancel reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.