Viagem em aeronaves privativas pode chegar a R$ 1 milhão por voo

Interior do Gulfstream GV, um dos jatinhos disponíveis para quem busca viagens com mais exclusividade. Imagem: Divulgação/Flapper

Na pandemia, para escapar de possíveis aglomerações em aviões, as aeronaves executivas têm sido a saída de muitas pessoas na hora de voar em viagens de lazer ou negócios. 

Com atuação no Brasil e mais de 450 aeronaves para fretamento certificadas em sua plataforma, a empresa Flapper atingiu, em 2020, um crescimento de receita de mais de 100% em comparação com o ano anterior. E grande parte desta demanda veio de novos clientes, que nunca haviam voado em avião privado.

Alguns fretamentos de jatos disponíveis no mercado podem custar uma verdadeira fortuna. A empresa afirma que, recentemente, clientes realizaram um voo executivo de São Paulo para Londres que custou mais de R$ 1 milhão — preço mínimo de, basicamente, qualquer voo em avião de luxo para a Europa.

Mais segurança e conforto CEO da empresa, Paul Malicki explica que a aviação executiva é, hoje, a melhor alternativa porque o número de pessoas a bordo é menor. 

E, além de evitar aglomerações, o ambiente dos jatos executivos oferece muito conforto para quem pode pagar por este tipo de comodidade. Muitas destas aeronaves têm assentos que se transformam em camas, mesas espaçosas, grandes janelas que permitem a entrada de muita luz natural, sistema de entretenimento e amplo serviço de bebidas e alimentação.

Aviões disponíveis São diversos os modelos de aeronaves executivas disponíveis para fretamento hoje no Brasil.

Na Flapper, por exemplo, uma das opções mais luxuosas é o Gulfstream G550, que comporta até 18 passageiros e, saindo de São Paulo, consegue chegar a diversas partes da Europa sem escalas. Sua estrutura conta com banheiro com chuveiro, sala que pode ser usada para conferências e refeições, além de assentos que viram camas. Seu custo médio por hora de voo é de R$ 70.000*.

O Embraer Preator 600, por sua vez, consegue pousar em pistas curtas (dando acesso a lugares paradisíacos mais remotos), comporta até 12 passageiros e tem cozinha totalmente equipada e assentos reclináveis que podem ser convertidos em camas. Seu custo médio por hora de voo é de R$ 40.000.

Já o avião Bombardier Global Express tem capacidade para 13 passageiros e é conhecido como “escritório voador”, com estrutura ideal para que precisa trabalhar durante o voo, com cozinha totalmente equipada, sofás, mesas grandes e wi-fi a bordo (e um custo médio por hora de voo de R$ 45.00E o Gulfstream GV permite voos sem escalas entre Brasil e Estados Unidos ou Europa, leva até 14 passageiros e oferece um interior dividido em quatro zonas, espaçosas poltronas com sistema de entretenimento, amplo espaço para trabalho e centro de bebidas. O custo médio por hora de voo é de R$ 69.000.

Vale lembrar que, no Brasil, o aplicativo da Flapper oferece a opção de voos compartilhados, nos quais o mesmo avião é dividido por pessoas de diferentes procedências que estão indo para o mesmo destino – o que pode diminuir consideravelmente o preço por cabeça da viagem. 

Entre outras empresas que viabilizam o fretamento de aeronaves no Brasil estão a Air Charter Service e a Fly Adam.

Publicação Anterior

Conheça as Aldeias do Xisto em Portugal!

Próxima Publicação

Davilmar Santos: Histórias de Sucesso em NY – Parte 1

277 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.