André Conrado: Natal - RN - A cidade do rio grande - Parte 2

Foto da Praça de Albuquerque Natal 1904 -IHGRN-Acervo-Bruno Bougart

Museu do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte

Palacete Manoel Romano - Inicio séc XX ( atual Instituto Histórico e Geográfico do RN) -UFRN

A casa da memória norte-rio-grandense! 

Neste capítulo na belíssima cidade potiguar, iremos visitar a casa guardiã da história rio-grandense. 

O Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande é a mais antiga instituição cultural do Rio Grande do Norte, possuindo um dos mais ricos acervos acerca da cultura, geografia e história do Rio Grande do Norte e do Brasil.

Localiza-se ao lado da antiga Catedral de Natal e do Palácio da Cultura (antiga sede do governo estadual), possuindo um rico acervo colonial histórico do estado. A História Colonial, especialmente da Capitania do Rio Grande.

IHGRN séc XX - Acervo próprio

Na cidade do Natal, quem caminha entre a Praça Padre João Maria e a Igreja de Santo Antônio (Igreja do Galo) aprecia um conjunto arquitetônico representado pela Igreja de Nossa Senhora da Apresentação, o Memorial Câmara Cascudo, o Palácio da Cultura (antigo Palácio do Governo), o Palacete da Prefeitura Municipal, o Museu Café Filho, a Coluna Capitolina e o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte (IHGRN).

A Casa do IHGRN, na Rua da Conceição, nº 622, foi construída em 1906, numa época em que se vivia a euforia do remodelamento e do embelezamento das cidades, um projeto das elites republicanas para modernizar a sociedade e as instituições brasileiras. O seu prédio expressa uma arquitetura neoclássica, típica da europeia da segunda metade do século XIX, revelada por seu desenho geométrico, pelas colunas, pelo entablamento, bem como pelo modo de acesso pelas laterais (valorizado pelas escadarias) e fachada monumental.

O IHGRN foi fundado, em Natal, sob a inspiração do IHGB, a 29 de março de 1902, durante o primeiro Governo de Alberto Frederico de Albuquerque Maranhão, num momento enfático de preocupação com a preservação do patrimônio histórico-documental, que possibilitaria a escrita da história de acordo com os parâmetros da ciência positivista, do encontro da história nacional com a memória social e do testemunho documental.

O museu promove exposições, palestras e outras atividades voltadas à manutenção e divulgação da cultura, história e geografia norte-rio-grandense, convite imperdível para apreciadores da história brasileira

Acervo de Revistas do IHGRN 1903-2018

Foto da Primeira Revista do Instituto Historico e Geográfico 1903 - IHGRN

As revistas foram criadas no ano de 1903 e tem publicação até os dias atuais, sendo ela anual. As atividades de digitalização, iniciadas em 2014 e finalizadas em 2018, foram realizadas através de projetos de extensão, sendo digitalizadas 55 revistas. Atualmente são encontradas em arquivo digital, sendo de grande valia para muitos estudos universitários.

Coluna Capitolina

Coluna Capitolina (Primeiro local) no Porto de Natal RN

Trazida a bordo do navio Lanzeroto Mlocello, foi inaugurada em 8 de janeiro de 1931 na esplanada cais do Porto, no bairro da Ribeira, em Natal.

Foto aérea do bairro das Rocas (Coluna Capitolina em destaque) 1931 - Porto de Natal RN

Após missa campal celebrada pelo bispo Dom Marcolino Dantas, houve a inauguração com benção do e discursos do general italiano Italo Balbo e do prefeito de Natal, Pedro Dias Guimarães.

Em 1935, o movimento comunista de Natal derrubou a coluna alegando tratar-se de um monumento de um governo fascista. A coluna permaneceu em lugar ignorado até ser reencontrada e novamente erguida na praça João Tibúrcio, depois seguir para a Praça Carlos Gomes, no Baldo. Por fim, foi chantada no largo Vicente de Lemos do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, onde hoje se localiza.

Foto do IHGRN e Coluna Capitolina - atual - Domínio Publíco

Na próxima e última edição desta viagem à cidade do rio grande, seguiremos para duas imperdíveis belezas naturais!

Fontes:

@aclubtour

Arquivo Nacional

IHGRN

UFRN

 

Compartilhe nas redes sociais
Publicação Anterior

Claudia Pamplona apresenta a matéria final da série Granado: Uma História de Química e Amor desde o séc. XIX

Próxima Publicação

Françoise Forton e Delson Antunes lançam curso on-line

611 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.