A convidada de Chico Vartulli é a estilista Iara Figueiredo

A estilista Iara Figueiredo. Arquivo pessoal.

Iara Figueiredo começou sua carreira de estilista após ter se  formado em Boston. Retornando para o Brasil com 21 anos, montou uma grife com sua prima Edna, que costurava as roupas e com a artista plástica Monica Costa que pintava os tecidos.

Ela  desenhava roupa e vendia pelo Brasil. Foi um sucesso estrondoso! “Chegava em Brasília ou em São Paulo, até mesmo aqui no Rio com malas cheias de roupas, cada  peça única pintada à mão no shantung de seda, e todas eram vendidas”, contou Iara.

Exposição de joias no consulado da França. Arquivo pessoal.

Em seguida, passou para a linha de bolsas, peças únicas com bordados, que também foi um grande sucesso. Era o mesmo esquema: colocava tudo dentro da mala, ia pra casa das pessoas e depois passou para os sapatos, que era um pouco mais complicado por causa do volume.

Iara teve  um convite para ir para Nova Iorque trabalhar com Oscar De La Renta para fazer um estágio. “Chegando lá houve uma mudança de percurso mas cada momento valeu a pena”, revelou Figueiredo.

Iara  em algum evento usando joias de sua criação para divulgação. Arquivo pessoal.

Seu momento musical veio em seguida, quando foi  fazer uma formação em Los Angeles numa escola de música. Ao voltar para o Brasil dois anos e meio depois assinou  o contrato com a Polygram.

Teve música tocando em novelas , fez shows no Metropolitan e em outros lugares pelo Rio de Janeiro.

No momento, Iara está finalizando um novo trabalho musical totalmente autoral 

– “Vai se chamar ‘Iara Figue Meu tempo’. Isso mesmo e Figue de figo em francês”, explica. Iara conta que fez uma numerologia para chegar a este nome, aliás, mudou também nas plataformas digitais para o nome citado.

Figueiredo está trabalhando com uma galera super jovem e competente do mundo musical.

As pinturas de Figueiredo expostas na sua loja em Ipanema. Arquivo pessoal.

Além disso, participou de vários programas de televisão e em algum momento houve a mudança na carreira quando alguém copiou uma joia que sua  mãe e ela haviam criado. A cópia ganhou o prêmio Internacional da Joalheria e seu pai começou a se questionar porque não fazer uma carreira como designer  já que tinha gente ganhando prêmio com suas idéias? 

Em relação a moda brasileira, Iara diz que é muito fã dos criadores de moda no Brasil: “nossa mão-de-obra é impecável , nossas rendas, nossos bordados são incríveis gosto muito da bossa brasileira”, comenta Iara.

Iara Figueiredo na  entrada da loja de Ipanema com uma foto que foi a divulgação do show musical que fez na casa Laura Alvim. Arquivo pessoal.

Quando começou a pandemia ficou quatro meses e meio em casa sozinha se reconhecendo. “Conhecer o universo da meditação e gostar muito do silêncio me ajudaram a revisitar minha alma e abrir novos caminhos para um novo momento”, declarou.

A dica que Iara  dá para as  pessoas que estão começando no ramo da moda, basicamente, que elas tentem descobrir a essência delas e não fazer o que está entre aspas “na moda”. “Quanto mais autoral a pessoa é, mais ela  será copiada. Confio que o mundo esteja caminhando para um lugar mais orgânico e quando falo no autoral também se encaixa nas pessoas que querem estar mais em contato com a verdade”, finaliza Iara Figueiredo.

Um trabalho de pintura de Iara. Arquivo pessoal.
Publicação Anterior

Xandy Novaski apresenta o outono em Curitiba

Próxima Publicação

Crystal Cruises lança 15 novos cruzeiros partindo de St. Maarten

834 Comentários