Ana Jardim, da série Hora do Recreio: 'Festa Junina!'

Olá, pessoal.
Aqui estamos nós para mais uma “Hora do Recreio”.
 
A propósito, o que vem a sua mente quando pensa em festa junina? 
 
Infelizmente, este ano as festas vão acontecer somente em nossa imaginação, o que não nos impede de sentirmos a delícia de participar de uma delas.
 
O formato das festas juninas que conhecemos tem origem nas festas dos santos populares em Portugal: Santo Antônio (13/06 ), São João (24/06) e São Pedro (29/06).
 
Tudo parece mágico neste evento, que em sua essência é multicultural e próprio para pessoas de todas as idades.  
 
A decoração multi colorida do arraial repleto de bandeirinhas com formato inconfundível, balões e fogueira, trazem grandeza à comemoração juntamente com as músicas (popular e folclórica), os intrumentos musicais (sanfona, cavaquinho, triângulo etc), as roupas caipiras, a quadrilha, as barraquinhas de jogos de sorte, de brincadeiras diversas e as de venda de quitudes típicos, como por exemplo, a deliciosa canjica com amendoim e leite condensado. 
 
Ufa! Minha boca já encheu de água!
 
Aquele pé de moleque feito com uma rapadura de primeira, a paçoquinha, o milho verde, a pipoca doce ou salgada, assim como, várias outras delícias. 
É muuuuita coisa boa, principalmente a alegria e simplicidade que reina, deixando todos super à vontade.
Clássicos da Festa Junina
Toda esta tradição foi trazida ao Brasil pelos povoadores e imigrantes vindos do nosso país irmão.
 
As roupas caipiras são uma clara referência ao povo campestre que povoou principalmente o Nordeste do Brasil. 
 
Por ser uma região árida, o Nordestino agradece todos os anos, principalmente a São João, mas também a São Pedro pelas chuvas caídas sobre a lavoura. 
 
Em razão da época ser propícia à colheita do milho, integram à tradição as comidas feitas dele.
 
Já Santo Antônio, é um dos santos mais populares do Brasil. 
Ele é chamado de santo casamenteiro. 
Vocês sabem o por quê? 
Assim ficou conhecido pela ajuda que dava à moças humildes, para conseguirem um dote e um enxoval para o casamento. 
 
Este detalhe levanta a questão social que envolvia fortemente os casamentos de antigos e os de um passado recente. 
 
Enfim, Santo Antônio intervinha na questão das desigualdades sociais.
 
Atualmente, com o intuito de atrair novos públicos, diferentes atrações estão sendo incluídas às festas juninas, sem deixar os costumes tradicionais juninos.
 
Pessoal, acabou a hora do recreio de hoje, mas ele volta.
 
Até a próxima!
Abraços.
Ana Jardim
Publicação Anterior

SOFITEL LISBON LIBERDADE REABRE HOJE COM INSPIRAÇÃO “NA MODERNA FRENCH ART DE VIVRE”

Próxima Publicação

Chico Vartulli entrevista a Artista Plástica Internacional Sylvia Martins

213 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.