ESTA PRAIA FLUVIAL NA SERRA DA ESTRELA AINDA É UM TESOURO BEM GUARDADO DE PORTUGAL

Chegar na praia fluvial de Lapa dos Dinheiros é como descobrir um tesouro embrulhado em árvores verdes e escondido entre grandes rochas de granito. A recompensa para a alma e para o corpo, nos dias quentes de verão, é um mergulho na límpida piscina natural que recebe os visitantes.

A partir da cidade de Seia são cerca de 9 quilómetros até a Praia Fluvial de Lapa dos Dinheiros. As curvas e contracurvas, algumas subidas íngremes e a estrada estreita fazem com que o percurso pareça maior. Pelo meio, passamos pela aldeia com o mesmo nome, casas brancas encaixadas na serra, antes de percorremos o caminho final, já rodeados pelo verde.

Ao chegar na praia, há um espaço de estacionamento e o resto do caminho faz-se a pé. E esta será sempre a melhor forma de chegar a novos sítios: pelos nossos próprios pés.

 

Antes de vermos a água, ouvimo-la. Finalmente, encaramos o brilho esverdeado do espelho d’água da Lapa dos Dinheiros que nos enche os olhos de natureza. Chegamos a um pedaço de paraíso.

Esta praia fluvial fica situada entre grandes afloramentos graníticos, perfeitamente enquadrada na montanha. A água que corre por aqui é da ribeira da Caniça, afluente do rio Alva. A temperatura da água, gelada, denuncia que não estamos longe da nascente.

“Eu costumo dizer que naquela praia podemos nadar e beber a água ao mesmo tempo de tão pura que é”, disse-me Afonso, filho do Rui, responsável pelo alojamento Casas do Pastor, onde ficamos hospedados. Se procuram ficar numa aldeia genuína no meio da serra, recomendamos este lugar.

Mas voltando à Lapa dos Dinheiros. Depois de chegar e dar o primeiro mergulho, para refrescar o corpo dos 30 e muitos graus que se faziam sentir naquele dia, começamos a explorar o recanto, onde também encontramos um dos bosques de castanheiros mais antigos da região.

Tanto para cima, como para baixo da piscina natural, existem uma série de pequenas quedas de água que dão uma magia extra ao lugar. Bem como a bonita ponte romana. É a partir daí que se pode fazer um trilho para explorar outras quedas de água e o Buraco da Moura, uma gruta de granito com aproximadamente 100 metros.

 

Quem preferir ficar a tomar banhos de sol e a contemplar a natureza, pode estender a tolha nos espaços próprios para tal, ou sentar-se em algumas da mesas para merendas. O ideal é chegar cedo para conseguir lugar, com a situação atual não existem muitos, e não esquecer de cumprir as regras de distanciamento social, bem como outras regras já antes conhecidas: não deixe lixo e respeite a natureza.

A Lapa dos Dinheiros tem Bandeira Azul.

Fonte: Sapo Viagens

Publicação Anterior

Douglas Delmar entrevista a escritora Portuguesa Letícia Brito

Próxima Publicação

ITA vai operar de 11 aeroportos; saiba quais são e os destinos

533 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.