Franklin Bressane aborda O papel da empresa e suas relações

O PLANEJAMENTO é a fase mais importante da busca por determinado objetivo. Ele prepara e define os procedimentos a serem adotados, revelando qual a importância das tarefas e verificando se o que está sendo buscado é realmente o objetivo final. Assim, evita que se perca tempo com objetivos impossíveis ou equivocados.

Uma vez planejado o que se vai fazer, é preciso reunir, ORGANIZAR e alocar os recursos necessários para realizar a atividade pretendida: máquinas, escritórios, recursos financeiros, informações, tecnologia. Também são necessárias pessoas, a quem se atribuem tarefas e funções.

Montada a estrutura, com todos os recursos necessários, é hora de fazê-la funcionar. E para isso é preciso uma liderança segura, que motive as pessoas e garanta boas condições de trabalho. Também são necessários processos de trabalho claros e definidos. Esse esforço de fazer a estrutura movimentar-se e trabalhar de acordo com o planejado, de orientar e liderar pessoas é chamado de DIREÇÃO.

Estamos trabalhando na direção certa? O planejamento realizado é implementado da melhor maneira possível? Estamos trabalhando com o máximo de eficiência? Somos eficazes? O planejamento que fizemos precisa ser adaptado? O trabalho da organização tem que ser avaliado continuamente, de forma a permitir ajustes e tornar-se cada vez melhor. Essa avaliação sistemática dos rumos da organização, que permite corrigir imperfeições nos processos de trabalho, ajustar a organização ao seu ambiente, aproveitar novas oportunidades, constitui a função denominada CONTROLE.

Você já pensou quantas pessoas afetam o trabalho de uma organização e são por ele afetadas?

Pois é, uma organização depende de muitos envolvidos para que tudo aconteça como se espera. Por sua vez, também influencia a vida de muita gente. E o raio de influência das atividades de uma organização é muito maior do que pode parecer à primeira vista.

Antigamente, os trabalhos sobre Administração eram voltados apenas para a gestão de organizações com fins de lucro. Hoje, o conceito de Administração é muito mais amplo, uma vez que há muitos tipos de organizações, com os mais variados objetivos, inclusive, em alguns casos, sem fins lucrativos. 

É por isso que hoje o foco está não apenas nos acionistas, cujo lucro as organizações visavam aumentar, mas em todos os envolvidos com a organização como:

Clientes– Os produtos e serviços oferecidos definem, em parte, a qualidade de vida da sociedade e dos clientes. O cliente também tem poder sobre a organização, pois se parar de utilizar seus produtos e serviços, ela perderá sua razão de existir;

Empregados– Os empregados de uma organização passam boa parte do tempo de suas vidas dentro dela. Ali, podem se sentir úteis, realizados, crescer como pessoas e aprender coisas novas. O sustento deles e de suas famílias, na maioria das vezes, depende da organização;

Fornecedores– Para também existirem como organizações, os fornecedores dependem das compras que outras organizações fazem. Os fornecedores podem ser mais ou menos importantes, dependendo do peso de seus produtos e serviços para o processo de produção ou para o negócio da organização;

Concorrentes– Os concorrentes de uma empresa geram desconforto, pois brigam pelos mesmos clientes que ela. No entanto, há um lado positivo: ao enfrentar concorrentes, uma organização é obrigada a melhorar continuamente seus produtos e serviços, sua qualidade e eficiência. Uma empresa que obtém sucesso num ambiente competitivo poderá competir com mais facilidade no mercado global. O cliente também é beneficiado pela concorrência, pois tem mais opções de consumo.

 

CONTATOS:

E-mail: bressanefranklin@gmail.com

WhatsApp: 11 95232.2018

Instagram: @bressanefranklinoficial

Publicação Anterior

JEYCOW FERRAZ APRESENTA BAGA – UMA ESTRELA DO MUNDO

Próxima Publicação

Juan de la Plata aborda Yoga para Gestantes com Re Mozzini e muitos sorrisos em apoio à Smile Train

191 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.