Jeycow Ferraz QUEBRANDO PARADIGMAS - Flávio Vieira - Agente Publicitário de Modelos e Empresário das Passarelas.

Quebrar paradigmas não é uma tarefa fácil, mas é uma missão de comprometimento à verdade para com seu próprio eu.
E quando falo isso, refiro-me ao Empresário das Passarelas, o Agente de Modelos e Proprietário da FV Model Agency, Flávio Rodrigues de Lira, natural de Furnas – MG. Filho de pai militar, desde cedo teve que lidar com a rigidez e altivez do genitor da família, em contra partida, tinha sua mãe, dona de casa, embora também rígida, a doçura em pessoa, vaidosa, caprichava nos batons e nos brincos enormes que deixavam, desde pequeno, o menino Flávio encantado. Seu olhar maroto já era alimentado por uma “retina modista”, que o fazia enxergar um futuro promissor como Artista desse segmento. E tudo só era uma questão de tempo…
E por falar em tempo, esse, sempre foi um verdadeiro aliado de Flávio. Mesmo com todos os percalços, todos os desvios inesperados pelo caminho, sua obstinação lhe dizia para seguir e não desistir.
Ele evoluía seus pensamentos mais secretos, à medida que crescia e via se descortinar um horizonte de possibilidades, mesmo vivendo na bucólica e nostálgica cidade de Furnas. Caçula de quatro irmãos e sob uma educação rigorosa, destacava-se pelo “diferente”, pelo teoricamente impossível, por viver nos limites de um interior mineiro, de oportunidades até então, limitadas. 
O fato é que, sonhos desconhecem limites, e tudo o que ele, o sonho, precisa, é de alguém que acredite nele e não se intimide de buscar torná-lo realidade. Era assim com Flávio, o menino sonhador e destemido de Furnas.
 
“Eu sempre desde criança queria ser Artista. Eu queria ser Artista a toda lei. Eu queria dançar, eu queria me inscrever nos Concursos da TV.” Declara, Flávio.
 
Já adulto e construindo sua carreira, vieram programas como “Silvia Poppovic, Carla Perez, Sílvio Santos, e recentemente, Encontro com Fátima Bernardes. Apaixonado por Carnaval, sonhava em ser Destaque, sair nos Carros Alegóricos e dava sempre seu jeito de estar próximo de pessoas envolvidas com a Folia de Momo; Presidentes de Escolas de Samba, em qualquer oportunidade lá estava ele nos barracões. Ia e não queria voltar pra casa, tamanho seu fascínio, ao ponto da família ir buscá-lo. Tudo já estava traçado pelo destino, era ali, em meio às alegorias e adereços, entre plumas e paetês, que Flávio iria veredar pelo mundo dos desfiles. Nessa época estava por volta dos seus 15 anos e debutando velozmente na vida 
 
“Era uma frustração. Ninguém acreditava. O menino do bairro querendo se destacar na sociedade. Piadas, preconceitos, aquelas coisas… Mas eu nunca me deixei levar por nada disso, eu não me importava, sabia o que eu queria.”
 
A educação rigorosa de sua mãe, era meio que uma prestação de contas que cada filho tinha que dar pela sua personalidade. Numa convivência diária com as diferenças, seu primeiro emprego desejava que fosse numa Boutique ou numa loja, mas foi numa Oficina Mecânica que a vida o colocou, e ali tirava o sustento para investir no seu objetivo maior, nos estudos e nas baladas.Trabalhou nessa oficina por 24 anos, mantendo seus luxos, seus confortos e ajudando em casa. Pagava as inscrições dos concursos também com o dinheiro da Oficina e quando terminava seu expediente como Mecânico, saia em busca de sua realização nas Passarelas.
 
“Aquele mundo ali da Oficina me trouxe dignidade, me trouxe respeito. Era um trabalho bruto com homens rústicos, e eu estava ali peito á peito como qualquer pião.”
 
Os estudos foram ficando em segundo plano por um tempo. Os convites pra festas estavam a mil por hora, era de quinta á domingo e cada vez mais, Flávio se inseria completamente no Mundo do ShowBiz. Passou a conhecer jornalistas da cidade e foi ficando mais conhecido. Algumas lojas de grife insistiam em não dar-lhe espaço e preferiam nomes de fora para seus eventos, mas tudo isso só servia como mola de impulsão para ele chegar no topo da cadeia alimentar de seu sonho.
 
O processo doloroso do início de carreira foi inevitável. Ele lembra de chegar com a família num evento seu e só ter 10 pessoas para assistir.
Com um padrão de beleza único e peculiar, destacava-se por sua simpatia e alegria. Dono de uma personalidade marcante, havia sempre quem se incomodasse, e com isso, algumas portas inicialmente não se abriram.
Não demorou muito e retomou os estudos chegando a cursar Direito, o que lhe deu mais esteio para avançar.
A hora era chegada, Flávio torna-se um nome consagrado no segmento das Passarelas, começa a Agenciar Modelos, Misses, Misteres e ter a sua própria Agência, a FV Model Agency, hoje uma REALIDADE de sucesso absoluto no Brasil inteiro.
Os Apoios antes não tão fáceis, prosperaram. O Jornal do Sudoeste, o empresário Jornalístico Nelson Duarte e tantos outros chegaram pra somar.
Flávio desponta realizando o primeiro Concurso de Miss de sua cidade e, entre 1989 e 1990 se abrem pra ele as cortinas do Miss Minas Gerais, pelas mãos do saudoso Nicolau Neto. 
Até atingir o sucesso, passou pelo desafio dos recursos primários, desde conduções simples, caminhadas a pé, da rodoviária até o hotel por não ter sequer dinheiro pro táxi, passando por dormidas em saguão rodoviário. A persistência foi sua maior companhia.
Superou resistências familiares.
Ignorou a descrença alheia.
Ressignificou seus próprios conceitos.
Flávio venceu!
É um nome forte como Agenciador e tem sua marca no Mercado Publicitário.
Sua empresa a FV MODEL AGENCY, consolidada, é uma referência no Mundo Miss e Mister.
 
O Menino sonhador de Furnas, agora é um empresário de São Sebastião do Paraíso, realizador dos sonhos, de tantos que, assim como ele um dia, estão dispostos a alçar seus vôos e… Quebrar Paradigmas.
Publicação Anterior

Kênia Esteves: LE FANTASTIQUE, Magia… Encantos e seu Elegante Anfitrião Benjamin, por Maximiliano Morocha

Próxima Publicação

Finlândia reabre fronteiras para brasileiros vacinados

482 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.