Jeycow Ferraz apresenta"QUEBRANDO PARADIGMAS"ASHILEY MARTINELLIUma Miss Brasil - Do Interior Paulista ao Topo Internacional.

“Sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho.”
Então… Sonhe grande. Voe alto.
Vem comigo nesse relato sobre persistência, lutas e vitórias.
 
Nascido Daniel Silva, ele não “Era só mais um Silva que a estrela não brilha”. Natural da cidade de Lorena, Interior de São Paulo 31 Anos, recém formado em Técnico de Enfermagem, esse menino de origem humilde e, inicialmente, sem muitos recursos, jamais se deixou levar pelos obstáculos para poder dar vida à seu personagem Ashiley Martinelli.
Sempre foi um admirador do mundo da moda, dos desfiles de Miss e da arte em geral, mas o transformismo era o que fazia seus olhos brilharem, e sua mente viajar, no desejo de um dia ali estar.
Foi quando há 08 anos atrás, resolveu arriscar à liberdade do Ser Transformista que habitava em si.
Através do Miss Primavera Gay de Lorena, Ashiley entrou em cena, onde diante das intensas emoções vividas naquela noite, foi inevitável não seguir adiante.
Nascia a Miss Ashiley Martinelli, com a força de uma guerreira destemida e comprometida somente em ocupar o seu espaço.
Fácil não foi, mas quem disse que seria?!
Vários problemas começavam a surgir; a aceitação familiar era um desafio, a falta de recursos, a falta de companheirismo, fatores esses que a levaram à um estado de depressão.
Mas ele seguia, desacreditada ou não, aniquilar os seus sonhos, jamais.
 
“ENTRE TUDO O QUE PASSEI, O PIOR FOI SER HUMILHADA POR AMIGOS QUE SE DIZIAM “AMIGOS”, FAZENDO-ME PASSAR POR VÁRIOS CONSTRANGIMENTOS.”
 
Como em todo início de carreira, seus recursos eram mínimos, mas os “Haters” não perdoavam, e vídeos seus, por conta de sua produções sem ainda muito capricho para se apresentar publicamente,  foram parar na internet, referindo-se a ela como “a vergonha da cidade”. 
Foi nesse momento que veio a depressão. O menino aspirante a Miss não queria sair de casa, não queria mais se “montar”, não queria mais esse mundo, resolveu se calar, se esconder.
Em 2019, houve o primeiro Miss Lorena Gay, e Ashiley foi convidada para retornar às passarelas. Um mix de sentimentos pairavam sobre a Miss; veio o medo e o receio de passar por tudo aquilo outra vez, mas ela sabia que seu sonho estava apenas adormecido, e era chegada a hora de acordar, encara o mundo de frente e vencer as adversidades, de cabeça erguida.
No Miss Lorena veio o terceiro lugar e o prêmio de Melhor Traje Típico. O universo mostrava que na passarela, era o seu lugar!
Blindada para quaisquer comentários que não lhe ajudavam à ser melhor, ela ressurgia como uma fênix, pronta para das cinzas alças vôos maiores e melhores. E o primeiro desses vôos, foi o convite para representar a Cidade de Sorocaba no Miss Regional São Paulo. Os aprendizados passavam a se tornar constantes e, com isso a “pedra bruta” ia sendo polida, transformando-se num reluzente diamante.
Mas, muito mais ainda estava por vir.
O mundo iria querer Ashiley, e ela mal sabia disso.
 
As portas do Rio de Janeiro se abrem.
As fronteiras do interior Paulista se rompem.
A sonhadora Miss ganha os holofotes, dessa vez pelo concorridíssimo Certame Miss Gay World Brasil. Representando o Estado do Pará, saiu daquela noite consagrada com o título de Miss Revelação Gay World Brasil.
A maior reviravolta de sua vida acontece em 2020, quando o Sr° Motatto, dono da franquia Internacional “Miss Earth”, entra em contato perguntando-a se ela queria participar do Concurso representando o Brasil internacionalmente.
Ashiley Martinelli era contemplada e Coroada como Miss Earth Brasil Gay Internacional, e começava a ganhar projeção mundial.
 
“FOI UM ANO DE PREPARAÇÃO PRO CONCURSO. O MISS EARTH NÃO É SÓ SOBRE BELEZA E BONS FIGURINOS. É UM CUNHO SOCIAL E ECOLÓGICO DE TOTAL RESPEITO A MÃE NATUREZA E AO PRÓXIMO.”
 
O Concurso Internacional acontece normalmente de forma presencial, mas devido a situação pandêmica mundial, seu formato foi alterado para o virtual, com candidatas representantes de vários países. Entre elas estava Ashiley Martinelli, aquela que anos atrás houvera sido discriminada e insultada como “a vergonha de sua cidade”.
Que lição, caros leitores!!
 
Após muitas eliminatórias ao longo do ano de 2020, chegamos em 2021 com o total de 07(SETE) Candidatas à um dos títulos mais cobiçados do mundo Miss Gay.
Acontecia virtualmente, porém com todos os critérios de avaliação por jurados renomados, o Miss Earth, com Ashiley classificada no TOP SEVEN mundial.
Precisamente no dia 29 de Maio de 2021, deu-se a grande e esperada noite, e hoje ela, Ashiley Martinelli, carrega no peito o orgulho em ser premiada não com o título máximo, mas com um título de extrema relevância no certame, o título de MISS EARTH AIR GAY INTERNACIONAL 2021.
 
“BATALHEI PARA ESTAR ONDE ESTOU. SÓ TENHO QUE AGRADECER PRIMEIRAMENTE A DEUS, E A TODOS QUE CAMINHARAM JUNTO COMIGO.” SIGO MEUS PROJETOS SOCIAIS NA CERTEZA DE QUE POSSO OFERECER O MEU MELHOR E SEGUIR MEU CAMINHO COM RESPEITO, DIGNIDADE, E SEM ABRIR MÃOS AOS MEUS PRINCÍPIOS.”
 
Ashiley Martinelli venceu as críticas, os obstáculos, as lutas, discriminações e temores. É reconhecida, mais do que nacionalmente, internacionalmente, dentro do Mundo Miss.
 
De vendedora de Doces Caseiros de sol a sol, de porta em porta(o que não lhe desqualificou em nada), ao cobiçado posto no Pódio Mundial como uma Miss Gay Internacional.
 
“EU ME TRANSFORMEI E SINTO ORGULHO POR TUDO QUE VIVI, POR TUDO QUE PASSEI.”
 
Por Jeycow Ferraz
Colunista Social LGBTQIAP+.
Publicação Anterior

Kênia Esteves: Quando o conhecimento e a beleza marinha andam lado a lado, podemos pensar CIA do MAR

Próxima Publicação

Alemanha reabre para brasileiros vacinados neste domingo (22)

1.813 Comentários