Na coluna de Nicovinci: Minas tem pão de queijo, design e decoração de qualidade

 A beleza e simpatia da Thamara Tannús sempre foram marcantes. Há dois anos tivemos um feliz reencontro nas redes sociais, que rendeu boa conversa e parcerias criativas. Thamara é sócia e diretora criativa, juntamente com seu irmão, Georges Tannús, da Barroca Almofadas, em Uberlândia, Minas Gerais.

A partir deste encontro, enviei alguns desenhos e pinturas que somaram às criações de outros designers e artistas da Barroca Almofadas, que atende profissionais da área de arquitetura, design de interiores, assim como os consumidores finais e também os lojistas, com entregas em todo o Brasil. 

Seus produtos agregam requinte, beleza e qualidade. Trabalhando com obras de artistas de vários segmentos e estilos, a empresa prima pela valorização da arte em suas estampas exclusivas, com tramas e acabamentos diferenciados. 

Através da Barroca Almofadas, Thamara, que é arquiteta, está desenvolvendo um trabalho de incentivo e inclusão social, junto a novos talentos (em conjunto com uma faculdade de Design de Uberlândia), com artistas com deficiência física e idosos, para inserção dessas pessoas no mercado de trabalho. 

A Barroca Almofadas é especializada, também, na fabricação e comércio de almofadas personalizadas, mantas lisas e estampadas, em todos os modelos e tamanhos.  

Agora, um rápido «bate-papo» com nossa querida convidada:

Nicovinci: O que mais te inspira neste trabalho?

Thamara Tannus: 

Além de termos artistas parceiros mais do que especiais, que tornam as nossas almofadas verdadeiros objetos de arte, temos a oportunidade de poder trabalhar com novos talentos e também com a inclusão de pessoas idosas, artistas anônimos e pessoas com deficiência. Esse contexto nos inspira a criar produtos singulares, pois tanto os artistas renomados quanto os artistas anônimos ou os novos talentos emanam amor, alegria e positividade, mostrando o seu melhor em tudo o que criam. Sendo assim, nossas almofadas têm um brilho e um toque especial.

Nicovinci: Na arquitetura, nas artes em geral, você tem algum estilo preferido?

Thamara: A arte, em todos os estilos, marca a individualidade e a originalidade de cada artista. Eu não tenho um estilo preferido, pois cada um deles tem o seu valor e se adequa a um determinado ambiente ou ao perfil do cliente. A arte é uma maneira especial que cada artista tem de se expressar, de transmitir o seu pensamento, a sua emoção ou a sua experiência ao mundo e às pessoas, trabalhando traços, cores e formas com sutileza, subjetividade, sensibilidade e conhecimento. Cada um tem uma forma de compreender a realidade dentro de uma dimensão histórica, social e cultural. 

A Arquitetura, ou melhor, os Estilos Arquitetônicos, da mesma maneira, são formas de expressão de arte, acompanhadas dos reflexos vividos em cada época histórica de cada civilização, dos avanços tecnológicos, tendo as peculiaridades de cada uma das civilizações, e de vários conhecimentos técnicos importantes dentro de cada contexto histórico, geográfico e cultural. Atualmente, preservar o ambiente, economizar energia e projetar para que todos tenham o direito de ir vir, assim como o de usar os edifícios sem barreiras, são conceitos importantíssimos, que devem ser levados em consideração no ato de projetar qualquer edifício, seja ele comercial ou residencial. Além desses conceitos, devemos levar em consideração os anseios de cada cliente, assim como o programa de necessidades e as normas técnicas características de cada edifício.

Devemos trabalhar todos esses preceitos, adequando a arquitetura à arte.

A arquitetura contemporânea, inspirada nas formas puras e na Neuroarquitetura, é a minha preferida, pois ela contempla a integração e preservação da natureza e o bem estar do ser humano em todos os sentidos.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                         Nicovinci: A Barroca atende consumidores exigentes. Como surgiu o trabalho de inclusão social com pessoas especiais e idosos, e qual resultado?

 

Thamara: Bem, eu trabalho há mais de 20 anos em prol do reconhecimento dos direitos de ir e vir de qualquer cidadão, e ressalto a importância da Acessibilidade e do Desenho Universal nos projetos de arquitetura desde a sua concepção. A Acessibilidade foi o tema do meu Mestrado, em 2005, e também sou voluntária da Associação de Paraplégicos de Uberlândia (APARU), desde o ano de 1997. A APARU é uma Associação sem fins lucrativos e uma de suas várias finalidades é a de preparar as pessoas com deficiências para o mercado de trabalho conforme o grau de deficiência, ou mesmo conforme a habilidade de cada um. A APARU tem um grupo de artesãs associadas e eu sempre apreciei os trabalhos elaborados por elas, pelo amor, a perfeição e o cuidado com os quais elas confeccionam cada peça. Outra questão importante é que grande parte dos brasileiros está envelhecendo, mas com perfeitas condições de trabalho. Diante disso, resolvemos dar a essas artesãs e verdadeiras artistas, uma oportunidade de mostrar os seus trabalhos a um número maior de pessoas diversificando, também, as opções de produtos.

Realmente e felizmente, foi um resultado surpreendente e eu tenho certeza de que é exatamente por termos consumidores exigentes, com bom gosto, conhecedores e amantes da arte que tivemos esse resultado tão maravilhoso! É gratificante vê-las criar e produzir com alegria e disposição!

 

Nicovinci: A decoração proposta pela Barroca segue tendência ou é eclética? 

Thamara: A Barroca é uma empresa eclética, pois trabalha com vários estilos de arte e procura atender aos vários perfis de clientes. Mesmo assim, possui também peças de tendência, pois elas complementam as composições.

 

Nicovinci: Lojas e comércio em geral tiveram que se reinventar em 2020 e ainda neste ano. Projetos para 2022?

Thamara: O ano de 2020 foi um divisor de águas, tanto para o estilo de vida, quanto para os valores de maneira geral e, consequentemente, as lojas e comércios tiveram que se reinventar. 

Apesar dessa mudança repentina, tivemos um bom resultado, pois as pessoas passaram a viver, a trabalhar, a estudar e a conviver em família, em casa, e principalmente a valorizar o aconchego do lar, a qualidade, o toque e a beleza dos produtos. Sendo assim, nossos produtos se tornaram, mais do que antes, objetos importantes e fundamentais para a ambientação e decoração dos lares.

Nosso projeto para 2022 é podermos estar mais acessíveis ao consumidor, facilitando suas compras por meio digital, além de ampliar o atendimento personalizado (já existente) na loja física, e por WhatsApp ou Instagram, que já estão implantados.

 

Eu gostaria de agradecer pelo honroso convite do nosso querido amigo, parceiro e artista, Nicolau Vinciprova, pela oportunidade de mostrar o nosso trabalho em um ambiente tão rico de informações e tão importante, como a Revista… 

Thamara

Publicação Anterior

Ricardo Schöpke apresenta crítica do filme: “Ney, à Flor da Pele” de Felipe Nepomuceno, exibido na Mostra Competitiva do IndieLisboa 2021

Próxima Publicação

Titta Aguiar apresenta: Astrologia e Moda

271 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.