JEYCOW FERRAZ - O Vôo da ÁGUIA DE OURO

O que é dublagem? Como funciona? Como surgiu?

 

Dublagem é a substituição da voz original de produções audiovisuais (filmes, séries, desenhos animados, telenovelas, documentários, reality shows, games, etc) pela voz e interpretação de um ator de voz do idioma nativo do país. Há também dublagens no mesmo idioma, usada para melhorar a qualidade do som original, algo utilizado principalmente em comerciais e musicais, ou quando há alguma falha na captação de som direto nas produções audiovisuais. 

No cenário Artístico dos palcos LGBTQIAP+ a Dublagem é uma referência através da Arte Transformista, mas o que poucos sabem é que a DUBLAGEM MASCULINA vem ocupando cada vez mais espaço, mais notoriedade, mais respeito e, com isso, ganhamos todos nós, ganha todo um cenário, toda uma comunidade que batalha diariamente por seu digno lugar na sociedade em seus mais diversos prismas.

Os primeiros filmes com som apareceram em na década de 20, em 1925, mas o cinema começou a “dublar” mesmo somente em 1927 com o filme “The Jazz Singer – O Cantor de Jazz” que incluía algumas falas, porém o primeiro filme totalmente dublado foi “Luzes de Nova York” lançado em 1929.

em 1930 Jacob Karol inventou um sistema de gravação que permitia sincronizar áudio e imagem. Era o nascimento da técnica que seria chamada de dublagem.

 

O recurso da dublagem permitiu o aprimoramento da qualidade sonora dos filmes, visto que os equipamentos de filmagens eram extremamente barulhentos, o que nem sempre permitia uma boa captação do som. Foi também uma boa solução para as tomadas externas em condições adversas.

 

A maior vantagem do advento da dublagem talvez tenha sido a possibilidade que ela proporcionou aos artistas falarem em muitos idiomas, o que abriu um grande campo de trabalho para outros tantos artistas em muitas partes do mundo.

No Brasil começou-se a dublar primeiramente os desenhos animados para o cinema, o que permitiu ao público infantil entender e se divertir com as grandes obras do cinema de animação. No Rio de Janeiro, em 1938 começaram as gravações, nos estúdios da CineLab, em São Cristóvão, da dublagem do filme Branca de Neve e os Sete Anões, com intervenção direta na organização dos trabalhos dos profissionais de Walt Disney. Essa produção marcou o início das atividades da dublagem brasileira, seguido por outras criações do mesmo estúdio como Pinóquio, Dumbo e etc.

 

Mas a dublagem ainda é um pouco controversa entre o público, mas muitos não sabem o quanto ela é importante para o verdadeiro entendimento de uma história ou de uma narrativa. Ela prende o espectador em um filme, ou a pessoa que está jogando um vídeo game muito mais do que simplesmente ler uma legenda. No entanto, a qualidade de atuação da dublagem também é muito importante, pois não adianta ter uma fala traduzida se a interpretação do dublador não for adequada a cena, ou mesmo se a tradução do texto não estiver bem feita, isso compromete muito a qualidade final da dublagem.

O Fato é que, a Dublagem é um canal vivo, condutor de emoções, onde o nível sócio-cultural de uma pessoa pouco importa para que tais sensações sejam sentidas e compreendidas.

Na noite gay carioca, nesse mês de Setembro um grandioso evento retomou suas atividades, o Concurso de Dublagem Masculina Gay ÁGUIA DE OURO.

Fundado décadas atrás pelo Artista Carlos Salazar, o evento foi criado para dar mais Visibilidade aos astros masculinos.

Após alguns anos de ruptura das suas edições anuais, em 2021 o Certame retorna de forma triunfal sob a majestosa batuta do Empresário Organizador de Eventos e também Artista, Carlos Sartori e do consagrado Promoter KK Silva. 

O vôo do ÁGUIA DE OURO atingiu o ápice de seu regresso aos palcos, na sede da Turma OK (Clube Gay mais antigo do mundo em atividades ininterruptas), localizado na rua dos Inválidos 39, Centro-RJ, no início de Setembro.

Uma noite de Glamour e com grandes talentos em cena, sob os cuidados minuciosos de uma equipe primorosa composta por Rose Sartori, Ricardo Assumpção, Engel de Castro e um aparato de patrocinadores que fizeram a diferença na fórmula desse sucesso.



Nessa edição de 2021 consagrou-se Campeão o genial LYDIO LIMA.

Lydio é um artista que já traz em seu DNA a essência de um notável Artista.

A Dança faz parte de sua composição cênica , mas é na DUBLAGEM MASCULINA que esse talento vem escrevendo, em letras garrafais, o seu nome nas Ribaltas da noite.

O público precisava desse frescor artístico.

A comunidade gay merecia esse regalo.

O mundo precisa conhecê-lo e, nós estamos aqui para mostrar que somos muito mais que esteriótipos. Somos determinação, somos garra, somos o que quisermos ser, e Lydio Lima está aí, arrancando suspiros e os mais calorosos aplausos em seu Vôo seguro como ÁGUIA DE OURO 2021.



A arte da Dublagem Masculina Gay segue avante, porque temos muito ainda pra dizer através da emoção que trazemos em nosso peito.

Não é sobre ser…

É sobre ESTAR E PERMANECER.

..

Feliz Novo Vôo ao ÁGUIA DE OURO!!

Publicação Anterior

ACQUA CONTENT – FESTIVAL DE CINEMA DE CASCAIS

Próxima Publicação

Joacles Costa- Professor de Língua Portuguesa, Professor de Língua Portuguesa, Eliseu Banori lança livro sobre suas histórias da Guiné-Bissau

462 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.