Titta Aguiar: Brechó de luxo

A econômia compartilhada

É possível relacionar a origem dos brechós, aos mercados de pulgas na Europa, onde se comprava e vendia praticamente tudo,  uma das mais antigas atividades comerciais.

Mas nada de pensar que um brechó é um amontoado de peças empoeiradas,  mal conservadas, com estranhos estilos, direcionados para quem não tinha poder aquisitivo. Os brechós de luxo são lojas conceituais, com  decoração sofisticadas,  peças de alta qualidade, grifes internacionais famosas, que passaram por uma seleção cuidadosa. Pessoas de poder financeiro, estão também procurando os brechós de luxo, de lojas presenciais e virtuais, para usufruir de roupas e acessórios de grife, tanto para a compra como a venda, com a vantagem de poder usar várias peças diferentes, sem ter o problema de “enjoar” delas ou desfazer de roupas que não usam mais. Afinal, sustentabilidade está na moda, consumo consciente,  garantia de flexibilidade, e ainda permitir o compartilhamento de peças de alto valor. É uma ótima maneira de ajudar o meio ambiente.

 

O interessante do mundo da moda de luxo, é que eles não saem da moda, e você consegue reciclar coleção após coleção, inventando novas combinações sem ficar repetitivo. Com certeza, reciclar o guarda roupa em brechós, é uma decisão de pessoas inteligentes.

 

 

São muitas as vantagens, enumerando algumas:

– Se gosta de exclusividade, você pode encontrar peças que não são mais comercializadas pelas grifes.

– Comprar peças com preços mais convidativos, comprando alta qualidade e ótimo estado de conservação, garantindo um look sofisticado com um excelente custo benefício. Vamos imaginar, se você for compra uma clutch Chanel, para ir a uma festa de amigas, além de gastar um bom dinheiro, você vai estar sempre olhando para ela em seu closet, enquanto se você adquirir em um brechó de luxo, o valor será muito menor, e terá a vantagem de revendê-la para o mesmo brechó e comprar outra peça diferente, e além de fazer outro consumidor feliz.

 

 

A moda sustentável e a economia compartilhada são tópicos constantes no universo fashion. Praticar o consumo consciente você conquista uma série de benefícios como, por meio de circulação de produtos, você diminui a circulação de roupas, resultando em alta retenção de qualidade e baixo consumo de energia, reduzindo as toxinas e gazes no meio ambiente ao manter as peças em ciclo de uso.

 

Resumindo, o consumo de peças em brechós de luxo, é uma exemplo de moda sustentável e vira febre entre as mulheres.

Não quero levantar a bandeira de que devemos consumir somente em brechós, existem estilistas maravilhosos tanto no Brasil como fora, que adoramos consumir uma nova peça da coleção, mas vamos pensar em equilibrar esse consumo.

 

A quarentena mostrou as pessoas o sentimento de buscar propósito na hora de se vestir, e os brechós fazem todo o sentindo nesse novo cenário em que vivemos.

Publicação Anterior

Douglas Delmar entrevista o Artista Blaze Wolf

Próxima Publicação

Alexandre Accioly convida Paulo Ricardo para cantar em live de inauguração da Bodytech do Shopping Leblon – Fotos: Vera Donato

344 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.