Chico Vartulli: A artista plástica, Geórgia Gioconda Aguillar e suas lindas esculturas.

Face to Face, uma obra da artista Gioconda conjugando com seu rosto.

A minha convidada é a exemplar artista plástica internacional, Geórgia Gioconda Aguillar e suas lindas esculturas.

Face to Face, uma obra da artista Gioconda conjugando com seu rosto.

“O que pode ser dito em uma obra de arte?

Tudo e nada…fantasia, realidade.

Extrair a luz oculta da nossa própria existência é nos inserir em dimensões criadas a partir do nosso universo pessoal, algo que pode ser impactante ou uma linha tênue distante da nossa percepção, mas que, dentro da criação artística, é de grandeza extraordinária.”

Com esta síntese, a artista autodidata Geórgia Gioconda Aguillar apresenta suas obras em escultura, pintura, fotografia e ao transitar entre a arte e o design, inserindo luz no interior das suas formas.

Também possui trabalhos em videoarte, moda e produção de cenário para comercial de TV.

A Oração movimento 2, Madeira 2021.

Nascida no Rio de Janeiro em 1966, se define como uma artista que está sempre traçando caminhos mais audaciosos em sua arte.

Sua trajetória começou aos 3 anos de idade, quando pintava telas demonstrando certa aptidão artística. Geórgia é filha do artista Gilberto Aguillar Navarro, pintor do Realismo Fantástico condecorado com a Medalha Tiradentes por criar obras de forte reflexão social, retratando trabalhadores braçais durante a Ditadura. Sua mãe, Gilda Gouveia, era uma pesquisadora de arte e arquitetura, que em parceria com sua madrasta, a pintora abstracionista Myriam Medeiros, incentivaram sua carreira e lhe deram bases técnicas, intelectuais e culturais, mostrando a importância da família no desenvolvimento de um talento desde a infância.

A Grande Mãe, movimento 01, em Madeira 2021.

Outra experiência enriquecedora, foi o período que morou na casa do artista plástico Roberto Magalhães, ícone da Geração 60 e contemporânea brasileira. Apesar de ter crescido em solo artístico, foi esta convivência com Roberto que a levou ao universo da arte, filosofia e fotografias contemporâneas e à decisão de abraçar seu talento como profissão.

Conviver com toda esta intensidade criativa dentro de casa e desde muito jovem criou uma formação que lhe rendeu conhecimento além dos moldes tradicionais acadêmicos. Sua trajetória na vida pessoal, repleta de experiências com passagens inusitadas se fundem a histórias de outros artistas.

A linda escultura Song ArtObjetos, Madeira, 2021.

Desenvolver este trabalho em madeira, lhe permite criar uma narrativa para a árvore que depois de transformada em chapa de compensado utilizada na construção civil e moveleira, é transmutada em uma nova presença visual, social e emocional através da arte. Neste processo além de preservar a influência psicossocial da árvore, obtém a representação das florestas em constante transformação, comenta artista.

Formas em que os veios ficam expostos para mostrar as digitais da árvore mantendo sua personalidade única e assim representá-las como um organismo vivo semelhante ao corpo humano. Experiência que considera elevada e ao mesmo tempo de produção complexa na conciliação da sua criação com o domínio das formas, dentro das limitações da madeira. Quanto mais complexa a forma, a mais desafios técnicos a submete a solucionar sozinha, buscando sintonia entre conceitos da física e harmonia visual.

A Carne é Fraca, movimento 01, Madeira 2020.

Ao final deste processo ela consegue a impressão de estarem em movimento e adora provocar no espectador emoções e curiosidade de como consegue obter estas formas na madeira. Transmutar a rudez dos veios na leveza visual de uma folha de papel recortada.

Geórgia faz questão de produzir suas obras em um trabalho braçal raramente exercido por mulheres, que para ela, é de fundamental importância.

O primeiro marchand a expor suas esculturas em 2002, foi Jonas Prochownik, que lançou Lygia Clark nos anos 60.

Geórgia expôs em várias cidades brasileiras, Lisboa e mostras de arquitetura em SP/RJ, entre elas CasaCorRio e jornal O Globo, evento Carlton Encontro com Arte.

A artista está no acervo tridimensional do Museu FAMA criado pela Fundação Marcos Amaro em São Paulo.

Atelier da artista, 2016, esculturas Ventania e Curvatura, Livre Movimento, variação 04.
Publicação Anterior

Rodolfo Abreu apresenta O Roubo da Mona Lisa

Próxima Publicação

XANDY NOVASKI

260 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.