Jeycow Ferraz apresenta ORGULHO DA COR

Ouvimos tanto sobre representatividade atualmente, mas o que é isso? Segundo o dicionário online Priberam, é a qualidade reconhecida à uma pessoa, à um grupo, à uma entidade ou à um organismo, mandatado oficialmente por um grupo de pessoas para defender ou representar os seus interesses ou exprimir-se em seu nome.



A representatividade é um termo amplo, que abrange diferentes aspectos, porém neste caso, da REPRESENTATIVIDADE NEGRA, pode ser entendida dentro de um viés de empoderamento, isto é, fazendo com que o individuo se torne presente, tendo visibilidade no desenvolvimento de papéis de alto valor social.

Já parou para pensar sobre o quanto você se sentiu preto?

Ouvi essa pergunta em um evento sobre carreiras negras na faculdade, e isso ecoou por muitos dias no meu pensamento e me fez questionar quando isso ocorreu, trazendo reflexões acerca do quanto você se sente diferente ao se deparar com alguma boneca ou um comercial.

Em algum momento você já viu algum comercial ou brinquedo e não se viu nele?

E é aí que a representatividade atua, mostrando que não existe uma única tonalidade de pele, único formato de corpo, uma única textura de cabelo. Ela chega para dizer que somos diferentes e devemos celebrar essas diferenças.

Para CELEBRAR a nossa existência, a nossa resistência, a nossa ocupação em todas as camadas sociais, é que trago nesse Editorial, o ORGULHO DA COR de cinco personalidades atuais e atuantes através de sua Arte e de Trabalho relevante na comunidade LGBTQIA+.



Com vocês, os depoimentos emocionantes de quem não cala sua voz diante de uma sociedade ainda racista e segregatória.

Não somos vitimistas!

Não somos números nas estatísticas!

Somos história, somos realidade, somos o legado plantado pelos nossos ancestrais.

Miss Gay Campos Universo RJ 2021- LAYLA RIKER

Desde pequeno enfrentei, mesmo que inconscientemente, os desafios de ser negro diante das situações de preconceito que estão tão enraizadas na nossa sociedade que chegam a ser normalizadas na cabeça de quem é negro.

Me ver um artista transformista negro e, principalmente, após receber o título de beleza negra da cidade de Campos eu adquiri a consciência da representatividade que eu tinha em minhas mãos e o quanto deveria questionar e participar da temática racial!

A arte tem historicamente fundamental relevância na inserção do negro na sociedade e com a vinda da tecnologia, das redes sociais e de tantas novas formas de divulgação da arte eu comecei a trabalhar mais minha imagem, assumindo cabelos, looks e apresentações que mostrem o orgulho que tenho de ser uma drag negra!

Mister Gay Lorena 2021- ISAEL GAMA

Minha Infância/Adoção.

A vida é cheia de surpresas, e comigo não foi diferente, depois de eu ter passado um tempo em um orfanato em Aparecida – SP, Deus me abençoou como uma nova família, onde eu tive a oportunidade de aprender a viver, sonhar e ser forte para as outras batalhas que o mundo iria me proporcionar. Sou grato a Deus todos os dias, por ter o privilégio de ter uma família que é minha base e de ter me abençoado com meus pais, irmãos, sobrinhos.É uma gratidão sem limites.

Mãe e Pai, eu sempre vou amar vocês.

Que eu possa orgulhar e representar com a força que eu ganhei o Mister Lorena 2021e transmitir toda luz que pra mim foi essencial pra iluminar meu caminho.

Prazer sou Isael Gama Fabrício, e ganhei o concurso Mister Lorena 2021 no dia 17 de Outubro, um título que para mim serviu de alicerce. Quero mostrar ao vale do Paraíba que esse sonho é por todos os negros e jovens que são diminuídos na sociedade,quero ser exemplo de força.

Tenho como projeto inicial dar atenção em Orfanatos pra crianças que passam a infância na espera de ter uma família ,assim como eu também passei minha infância na Casa da infância em Aparecida. Cresci com essa vontade de fazer diferença e emanar amor em um país ainda preconceituoso e racista.

Miss Gay e Figura Pública - LETÍCIA VALENTINNI

Em meu ponto de vista, ser uma Miss Gay, Negra, Preta, Inteligente e Empoderada, além do dever de exercer com maestria a função de ser miss, que não é só colocar uma Faixa no peito e uma Coroa na cabeça, mas sim levantar a bandeira e dar voz àqueles que na sociedade são a minoria. É também tentar fazer aparidade coletiva, afinal, um bom líder não separa tribos, mas sim as une.

O segredo é você se vestir de si e ser feliz do jeito que você quer.

O importante é ser.

Eu acredito, eu luto até o fim: não há como perder, não há como não vencer.

Somos a força da resistência e podemos… tudo!

Mister Gay e Personalidade do Carnaval Carioca - IGOR ALMEIDA

38 anos, Negro e Oriundo da Zona Oeste do Rio de Janeiro, Artista LGBTQIA+, Apresentador, Mister, Muso e Rei do Carnaval do Rio de Janeiro.

Igor além de personalidade do carnaval, também é militante LGBTQIA + e dançarino de quadrilha junina desde meados de 1994.

Hoje podemos dizer que estamos na luta, não somente de reconhecimento, mas também de igualdade social, de empoderamento de espaços na sociedade…

“Ser negro, Gay e favelado nunca foram atributos de reconhecimento ou mesmo de valores para sociedade em que vivemos”.

Porém tento ser o diferencial, mostrar que de onde venho e principalmente quem Eu Sou, me faz ser um vencedor em meus objetivos.

Por conseguinte tenho certeza que esta luta vem sendo árdua, mais vencida a cada batalha, e eu me alegro em fazer parte dela, e sei, e acredito que dias melhores virão.

Artista, Miss Gay, Atriz e Cantora - VELUMA

De origem humilde, natural de Itaboraí e Adjacências, profissional da Área Comercial, Artista Transformista de referência, Miss Gay e prestes a me lançar no concorridíssimo Mercado Fonográfico como Cantora, chegar até aqui, não, não foi fácil. Mas sempre acreditei que era possível, porque onde o talento e a garra persistem, o preconceito e o racismo caem por terra.

Pela trajetória da minha caminhada de luta e determinação, foi importante manter os punhos serrados, o olhar fitado em meus ideais e os pés, por vezes cansados, refeitos à cada obstáculos vencido.

Me vejo como a representação de um povo negro que não se vitimiza pelo seu passado de dor e renúncias, mas que se ergue todos os dias, mostrando que podemos sim, ocupar; chefias, bancadas de telejornais, lugares de destaque, e porque não, soltar a voz, fazer música, e espalhar amor e alegria, ao invés de choro e nostalgia.

Essa é a minha missão, esse é o meu legado!

Sou muito mais do que olhares tortos por conta da minha pele retinta.

Sou o resultado de todas as pedras que já me foram lançadas, com as quais construí meu castelo e onde é nele que hoje habito.


..


Eu Jeycow Ferraz, Colunista desta Revista; negro, nordestino, de origem pobre, tendo vindo pro Rio de Janeiro há 20 anos atrás, com uma bagagem de sonhos à serem realizados, tive todos os motivos que um menino franzino e cru do mundo, teria para desistir, mas resisti a todos os percalços enfrentados pela cor da minha pele, pelo meu sotaque, por acharem que eu queria ocupar um lugar que não poderia ser meu.

Hoje, aos 43 anos, Artista, Mister, Apresentador de diversos Concursos de Beleza pelo país, com meu nome reconhecido e respeitado em todos Estados onde chego, Colunista Social de dois grandes veículos de Comunicação Editorial Nacional, atesto e afirmo, que, os desafios e obstáculos só me serviram como trampolim na busca incessante por me tornar o homem preto, educado, de boa conduta e de conquistas suadas, mas de muito sucesso.

Certamente não chego aqui sozinho, trago comigo o legado do meu povo, e a voz do meu espírito sonhador, que não pára, que não se cala.

Que nossa cor nunca nos defina!

Publicação Anterior

Juan Pablo de La Plata: Dia de Doar reforça a importância das doações como um hábito entre os brasileiros

Próxima Publicação

Reencontro de amigos em tarde de autógrafos em Ipanema – Fotos: Vera Donato

640 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.