XANDY NOVASKI ENTREVISTA O MODELO E ATOR RICARDO NEGRINI

RICARDO NEGRINI – Crédito Wanderley Franco

RICARDO NEGRINI - Crédito Wanderley Franco

As passarelas sempre estiveram em seu caminho, desde os tempos de infância. E mesmo tendo buscado outra profissão, no caso a de dentista, o destino fez questão de que RICARDO NEGRINI retornasse para os holofotes. Após uma campanha publicitária apresentando um produto do ramo, o profissional nunca mais parou. Hoje, após passar dos 50 anos, a rotina com a Publicidade continua em alta, pois o mercado se adequou aos novos tempos. Entenda mais sobre a trajetória do ator e modelo e perceba o quanto as profissões distintas se unem quando há um único objetivo!

1) Desde pequeno você participava de eventos artísticos na escola. Já adulto, durante a faculdade de Educação Física, um curso extracurricular de Manequim lhe rendeu o primeiro de vários desfiles. Acredita que a atuação artística na infância o ajudou na fase adulta?


Acredito que sim. Como eu participava de várias atividades na escola, sem querer vamos nos moldando E aprimorando o nosso conhecimento ou talento. E quando comecei a fazer profissionalmente já não era tão novidade. Eu já tinha uma certa experiência.

RICARDO NEGRINI - Crédito Michel Kennedy

2) E o curso de Educação Física, o que ele ajudou nessa composição do Ricardo Negrini manequim?

O curso manequim te ensina a ter uma boa postura, a andar, desfilar com elegância para mostrar as roupas, acessórios, joias e etc. E na Educação Física nós aprendemos a ter maior consciência corporal, aprimoramos o nosso ritmo, equilíbrio, coordenação, postura. E com esses conhecimentos ficou mais fácil aprender as técnicas do curso de Manequim.

RICARDO NEGRINI - Crédito Ricardo Rico

3) Mesmo diante das passarelas e da formação como Educador na área esportiva, um curso totalmente diferente dessas atuações caiu no seu gosto: Odontologia. Qual foi o motivo para essa guinada na carreira?

Quando eu estava na fase de pré-adolescência, fiz um tratamento odontológico em que precisei fazer visitas semanais ao dentista durante certo tempo e acabei vendo o quanto essa profissão é linda. Mas como nessa fase ainda somos meio criança, o tempo vai passando e acabamos esquecendo. E só quando me tornei adulto, acho que aquilo que estava adormecido no meu subconsciente despertou e foi quando resolvi fazer o curso de Odontologia.

RICARDO NEGRINI - Crédito Gustavo Xavier

4) A atuação como dentista deixou a carreira de manequim e modelo de lado. Entretanto, foi a Odontologia que o devolveu para a publicidade. Como foi essa volta aos holofotes?

Após me formar em Odontologia, montei o meu consultório e fiquei por muitos anos somente clinicando. E como eu tenho um perfil de dentista em uma rede social profissional (LinkedIn), um Produtor de Casting, fazendo uma busca nessa rede, entrou em contato comigo, pois precisava de um dentista para fazer um comercial de um creme dental e somente dentistas de verdade podem fazer comerciais indicando produtos odontológicos. E foi assim que resolvi voltar para a publicidade e não parei mais.

RICARDO NEGRINI - Crédito Agência RaeMP - Editora Alto Astral

5) Acredita que isso que acabamos de conversar (a Odontologia o levando de volta à publicidade) tenha sido tarefa do próprio destino ou sorte?

Acho que foi uma obra do destino, mas com certa pitada de sorte. (Risos).

RICARDO NEGRINI - Crédito Marcos Vitachi

6) A Publicidade nos entrega momentos ótimos, inclusive financeiros. Contudo, ela também nos devolve muitos ‘não’. Como você lida com isso, já que no consultório dentário seus clientes estavam ali, todos os dias, e o fluxo profissional seguia sem essa montanha-russa?

Eu acho que não existe uma profissão que seja totalmente perfeita. Sempre ocorrerão imprevistos, situações de algum tipo que possa interferir nos horários, finanças, etc. E na Publicidade não é diferente. Tem um lado muito bom sim, mas esse outro que realmente não é fácil tem que ter jogo de cintura para saber administrar. Você pode receber vários nãos seguidos. Precisa se organizar financeiramente, pois não sabe quando terá dinheiro novamente. E ter estrutura psicóloga para entender que aquele "não" que você recebeu, não foi uma coisa pessoal, mas entender que não era o seu perfil que buscavam naquele momento.

RICARDO NEGRINI - Crédito Wanderley Franco

7) A vida de um dentista geralmente segue o padrão de horário comercial, de segunda à sexta, das 09h às 18h. Já como modelo e manequim as gravações podem durar 10, 12 horas por dia. Como você lida com isso?

No início tive certa dificuldade, pois eu sou muito metódico, gosto de saber quando vou começar e terminar o que irei fazer. Mas com o tempo fui me acostumando com essa outra rotina de horário.

RICARDO NEGRINI - Crédito Ingrid Gonçalves

8) Como você encara os imprevistos das gravações, como mudança de luz de uma externa, chuva, poluição sonora, ou seja, tudo que faça uma tomada ganhar mais uma diária?

Eu encaro com certa normalidade, pois em todas as profissões acontecem problemas e imprevistos. É claro que eu gostaria que o meu trabalho fosse realizado em um tempo "normal", mas não me incomodo em ter que refazer uma foto ou cena para que o resultado final fique melhor. E também, havendo a necessidade de outras diárias, eu recebo por elas. Viu! Alguns imprevistos até têm um lado bom. (Risos).

RICARDO NEGRINI ao lado de MIKE TYSON - Crédito Saigon filmes - Reprodução YouTube

9) Conta pra gente: qual foi a maior surpresa que você já teve durante um trabalho de Publicidade?

Olha, nessa profissão não existe muita rotina e realmente já me surpreendi muito quando cheguei a determinadas locações. Mas uma surpresa bem interessante foi em uma gravação. Eu cheguei à locação que, por sinal, ficava em uma fábrica abandonada (já foi uma surpresa! “risos”) A produção estava cheia de mistério e, quando dei por mim, já estava ao lado do Mike Tyson, o Boxer. Foi uma grande surpresa. Realmente nunca imaginei conhecê-lo pessoalmente.

RICARDO NEGRINI - Crédito Thiago Drummond

10) O mercado brasileiro está mudando em relação a modelos com mais de 50 anos?

Sim! Até pouco tempo atrás existiam poucos modelos com mais de 50 anos que conseguiam continuar trabalhando, pois o mercado sempre foi muito voltado para os jovens. E hoje, com as mudanças de mercado, vem acontecendo uma maior procura por pessoas, não só com 50 anos, como mais idosas, chegando até os 80 anos. E não há procura somente por homens grisalhos, ocorre também uma procura por mulheres grisalhas. Isso é uma tendência mundial. Fora do Brasil existem agências especializadas somente em pessoas grisalhas. E espero que em breve tenhamos aqui no Brasil varias agências trabalhando somente com pessoas grisalhas.

11)Com toda essa experiência na bagagem, o que você tem a dizer aos jovens e também aos modelos que passaram dos 40 anos em relação aos trabalhos?

Na verdade, independente da idade, a minha resposta será a mesma. Se você prestar atenção, hoje, a maioria dos comerciais tem vários perfis e de todas as idades. E se esse for o seu sonho e você tendo dedicação, esforço para fazer o seu melhor, não desistir dos obstáculos, dos ‘nãos’ que irá ouvir, vai valer a pena. E mesmo sendo uma profissão muito concorrida você conseguirá o seu espaço, pois acredito que exista mercado para ambos.

Publicação Anterior

Titta Aguiar: BLACK or WHITE

Próxima Publicação

Roberto Lúcio – Café da Manhã no Hilton: O Rio de Janeiro continua lindo.

143 Comentários

Deixe uma resposta para Dnenjoure Cancel reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.