Rodolfo Abreu convida para uma visita à Ópera Nacional de Paris

Ópera Nacional de Paris – Ópera Garnier

Rodolfo Abreu convida para uma visita à Ópera Nacional de Paris

O Prédio

O belíssimo prédio que abriga a Ópera Nacional de Paris, o Palácio Garnier (Ópera Garnier), levou 15 anos para ficar pronto, tendo sido inaugurado em 1875. Ganhou o sobrenome do arquiteto construtor Charles Garnier, vitorioso no concurso que elegeu o projeto do teatro.

A construção aconteceu durante a grande reforma da capital francesa orquestrada por Napoleão III e o Barão Haussmann (então prefeito de Paris) no século XIX.

A Ópera de Paris é um prédio que reúne vários estilos um pouco do barroco, um pouco cópia do renascimento italiano. Com 100 metros de largura e 60 de altura, a fachada conta com sete arcadas monumentais ornadas com esculturas alegóricas como “A Música” e a “Dança de Jean-Baptiste Carpeaux”. A cúpula é rodeada por conjuntos esculturais espetaculares.

Foyer

Se já é bonita por fora, o interior da Ópera de Paris é um deslumbre. O maior destaque é a grande escadaria central, com trinta colunas monolíticas em mármore, rodeada de diversas pinturas e moisaicos.

Os corredores e espaços ao redor do foyer revelam detalhes impressionantes compostos por painéis, mobiliário, lustres, esculturas, vasos e outros adornos que fazem os frequentadores mergulharem no luxo e na arte deste templo da música erudita.

Sala de Espetáculos

A sala de espetáculos, mais impressionante ainda, é toda dourada e vermelha, com um teto que contrasta furiosamente com o resto do décor.

Sala de espetáculos

A sala de espetáculos em vermelho e dourado pode acolher 2.130 espectadores com frizas, camarotes e balcões em semi-círculo em torno de um palco à italiana.

O teto foi decorado em 1965 pelo pintor Marc Chagall com anjos e personagens flutuantes, a pedido do Ministro da Cultura, André Malraux.

Teto com pintura de Marc Chagall

Nos anos 1980, o Palais Garnier deixou de montar óperas em favor da Opéra-Bastille, construída por Carlos Ott. A Opera-Garnier tornou-se oficialmente o Palácio da Dança.

Bastidores

Bastidores - Bailarinos na sala de ensaios

Os bastidores da Ópera Nacional de Paris mostram o árduo trabalho de técnicos, cenógrafos, músicos, bailarinos, figurinistas e muitos profissionais que fazem so espetáculos acontecerem.

Fonte: Ópera Nacional de Paris
Fotos Divulgação

#paris #frança #opera #teatro #luxo #beleza #arte #arquitetura

Publicação Anterior

“Censura nunca mais!”, diz Lázaro Ramos no encerramento do Festival do Rio

Próxima Publicação

Jeycow Ferraz: Amsterdã – O Natal de todas as Cores

320 Comentários

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado.