Roberto Lúcio: Prêmio “International Portuguese Music Awards” indica Kelly Rosa entre os melhores do mundo

Recentemente indicada ao prêmio “International Portuguese Music Awards”, a cantora brasileira Kelly Rosa vive mais um período de alegria e também de expectativa. Nascida em Ponta Grossa (PR), passou a juventude envolvida com a cena musical do Sul. Em 1995, mudou-se para o Nordeste e gravou seu primeiro álbum. Desde então, segue expandindo horizontes em uma carreira que se destaca pela versatilidade, capaz de integrar forró com MPB, bossa nova, frevo, samba, axé music, Edit Piaf, fado e canções populares portuguesas.

Num bate papo inédito, ela falou conosco sobre a expectativa do prêmio na categoria “World Music”, além de declarar mais uma vez sua paixão por Portugal, música e pelo trabalho.

Sobre a indicação ao Prêmio “International Portuguese Music Awards”, ela nos fala:

Kelly Rosa: A pedido do meu produtor internacional, Herman Alves, da empresa Hermedia Publishing, inscrevemos a faixa “Se Tu Quiser”, título de um dos meus álbuns, uma canção de um poeta maravilhoso do Nordeste, Chico Bezerra. Eu carrego essa canção comigo para todo canto. É muito amada aqui no Brasil. Mas eu não esperava essa repercussão. É o mundo inteiro com suas inscrições e foi a minha primeira vez participando como indicada. É uma alegria imensa.

Kelly Rosa: Eu tenho família em Portugal. Tenho uma irmã, que também é cantora, Kris Rosa. Eu cantei por quase todo Portugal, com a produtora Regina Glória, uma grande amiga. Eu residia em Tomar e em Lisboa.

Mas eu comecei a cantar música portuguesa em Recife, em um restaurante chamado Recanto Lusitano. Eu tenho um trabalho muito grande com o choro e senti essa identificação com o fado.

Quando eu canto no Brasil, eu trago um pouco do sotaque português para matar saudade e aproximar ainda mais os países. Mas quando eu canto em Portugal, eu canto com sotaque brasileiro e o os portugueses dizem que “Rosa canta um fado com açúcar”.

Aqui em Pernambuco, existem muitas casas portuguesas. A culinária é fabulosa. Eu tenho uma gratidão muito grande com Portugal.

Kelly Rosa: Eu sou muito “emoção’. Eu não sou tão técnica, eu canto com muita energia e entrego a música como um presente.

O fado é uma canção que você entrega quase como uma oração. É toda uma preparação. Eu canto ao modo conservador. Eu uso o xale, a saia longa, eu me concentro, eu falo o nome do compositor. É maravilhoso. As pessoas se emocionam.

Kelly Rosa: Desde 2018, eu tenho cantado a música francesa. Sempre fui apaixonada pela língua. Fui convidada para participar de um festival no Recife, cantar para o consul e uma comitiva francesa. Eu amo desafios. Gosto de cantar música difícil.

Hoje eu tenho um repertório que já apresentei em 2020 no Teatro Luiz Mendonça, em Pernambuco, no show “La Rose”.

Quem me escuta cantar em francês pergunta onde eu vivi na França. Mas eu nunca morei lá, mas as pessoas não acreditam.

Acompanhe Kelly Rosa em seu site oficial:

https://kellyrosa.com/

E acompanhe também o resultado do Prêmio Internacional da Música Portuguesa que terá lugar no Providence Performing Arts Center nos Estados Unidos, no dia 23 de abril.

Esse ano, o prêmio chega a sua décima edição e traz indicações internacionais nas categorias Rock, Pop, Dance, Rap/Hip-hop, “Musica Popular”, Traditional, Fado, World Music, Instrumental, People’s Choice, Song of the Year, New Talent e Video of the Year

https://ipmaawards.com/nominees-1

Publicação Anterior

Dr. Rondó Jr.: Prevenção natural e eficiente contra as varizes

Próxima Publicação

Designer de Bolsas Zanir Furtado recebe para almoço no Village Mall – na Barra