Claudia Melo: Valeria Costa, a arte da alta costura

Valéria Costa, a arte da alta costura

Valéria Costa, mineira radicada em Goiânia, que vem conquistando espaço entre socialites, famosos e anônimos em busca de sapatos e roupas exclusivos e de qualidade. No mercado desde 2007, quando lançou a linha de calçados femininos “Jóias para os pés”, Valéria Costa, uma apaixonada por calçados e jóias, optou por unir as duas paixões em suas peças. Sendo continuidade ao seu trabalho, Valeria começou a fazer vestidos de alta costura, moda praia, figurino para shows e programas de TV e fantasias de Carnaval. A designer pertence a uma família tradicional mineira e ainda na infância aprendeu com a mãe a arte de bordar e costurar. Somando-se ao seu apurado senso estético, Valéria fez vários cursos nas áreas de moda e ganhou uma vasta experiência trabalhando como figurinistas em emissoras como rede Globo e rede Record. Entre suas clientes estão as atrizes como Juliana Paes, Juliana Alves, Fabiana Karla, Paola Oliveira, Ana Furtado, Luiza Brunet, Stella Miranda, Carla Prata, Dandara Mariano, Antônia Fontenele e outras, além das cantoras Claudia Leitte e Marina Elali, e personalidades do carnaval, como Viviane Araújo.

Valéria Costa, fundadora da Jóias para os Pés

Hoje Valeria esta fazendo as fantasias para a Musa do camarote da Revista Caras bateria nota 10. Vocês querem saber quem é esta Musa? Sou eu Claudia Melo, atriz, apresentadora e colunista desta coluna linda. Estava ansiosa para dividir esta novidade com vocês e feliz por ser vestida por essa excelente profissional.

“O diferencial das minhas peças é a qualidade e o design. Uso os melhores materiais disponíveis no mercado em minhas peças”, explica Valéria Costa.

Nossa parolagem

Sabemos que você vem de um família tradicional de Minas Gerais, como foi se radicar em Goiânia, sentiu muita diferença?

R: Na realidade, quando me casei mudei para São Paulo SP, residindo lá por quatro anos. A metrópole paulista me abriu os horizontes e foi lá que cursei Decoração na Escola Pan Americana de Artes. Goiânia é muito semelhante a Minas ,no estilo de vida ,costumes, cultura e na culinária. O mais importante é que tenho família em Goiânia e isso fez toda a diferença. Desde 2010 estou no Rio de Janeiro RJ devido ao meu trabalho.

Você iniciou nos bordados muito jovem acompanhando sua mãe, foi dessa época que começou seu amor pela criação no mundo da moda?

R: Sim. Sempre o mundo da moda e trabalhos manuais sempre me fascinaram. Minha mãe sempre foi minha maior inspiração ,meu exemplo, a pessoa mais talentosa e de bom gosto que conheci .

Sua família apoiou sua decisão de se tornar estilista, como foi seu início?

R: Tive muitas influências ,meu pai tinha loja de tecido desde muito antes do meu nascimento. Convivo nesse meio da moda desde sempre. Minha família sempre me apoia muito nas minhas escolhas e decisões ,meu principal apoiador e incentivador é o meu marido.

Como foi criar Jóias para os pés?

R: Um convite da Casa Cor Goiás para fazer o “Atelier da dona da casa”. Tive a ideia de sair do tradicional e projetei um espaço de fabricação de sapatos e joias Foi uma realização e fascinante pelo fato de amar joias e a paixão pelos sapatos.

Sua experiência como Styling nas grandes emissoras influenciou as na procura das famosas pelo seu trabalho?

R: O trabalho nas emissoras com certeza me abriu muitas portas ,mas antes de trabalhar nessas emissoras já contava com algumas celebridades principalmente no carnaval. O convívio com elas me enriqueceu muito. Só tenho a agradecer o carinho e O incentivo que sempre recebi de todas.

O que te inspira na moda e na vida?

R: O que eu penso é que sempre estamos envolvidos em energias. Sempre procuro inspiração nas energias da natureza. Tudo é vida e a vida é tudo.

Quem foi sua maior influência no mundo da moda, você tem um estilista internacional ou nacional predileto?

R: São inúmeras personalidades da moda que eu admiro.

Um deles é Alexandre Mcqueen, Ronaldo Fraga estilista brasileiro de uma criatividade admirável. Mas conheci estilistas “anônimos”, desconhecidos da mídia que contribuíram muito na minha formação. Muitas vezes me surpreendo com opiniões de uma auxiliar de costura. Respeito a todos igualmente.

Como é seu processo criativo, dá ideia a criação?

R: Preciso de ter um gatilho ,como o desejo da cliente de se sentir única e bela ,ver vitrines, viajar, pesquisas e principalmente estar em uma boa loja de tecidos e lojas de aviamento ,enfim um prédio ,obra de arte também pode me inspirar pelas suas formas, curvas e cores como também encontramos na natureza.

Definido o que vou fazer gosto de simular a roupa no manequim ou em uma boneca Barbie ,porque não desenho bem e assim consigo ver melhor. Nos sapatos uso o mesmo recurso usando a própria forma do sapato ,o nome técnico e moulage .

E notório que você tem uma representatividade própria nas suas criações, isso é uma prioridade?

R: Mesmo sem perceber sempre acabo imprimindo minha marca as vezes bem sútil , mas está ali presente.

Você presa por qualidade e design, você acha que esse é o motivo por você se tornar a queridinha das famosas?

R: Também é um fator ,mas acredito ser o respeito, comprometimento e quando você coloca amor no que faz o reconhecimento sempre chega.

Como é a criação de um look para o Carnaval, você já fez vários para diversas famosas?

R: Não é diferente de qualquer outra criação de moda, a diferença está que usamos mais brilho, geralmente são roupas mais sexy e para os camarotes, a maioria tem camisetas com a marca deles. As camiseta customizamos e transformamos em vestidos, croppet, saia ,macaquinho. A criação para o carnaval é muito ampla, tem também as fantasias, bailes temáticos, blocos de rua.

A inspiração vem de buscas pesquisas na moda, na história e muita dedicação em estudos.

Me preocupo muito em saber o estilo da pessoa e o que ela deseja, muitas vezes resolvo junto com a pessoa respeitando suas ideias e desejos.

Bastidores do editorial para divulgação da Musa (eu, Claudia Melo) do Camarote da Revista Caras com looks exclusivos Valéria Costa. Fotógrafo: Matheus Trindade

Sua produção é interna ou terceirizada?

R: Gosto de ter o controle de todo processo ,por esse motivo ainda não consigo terceirizar.

Proporcionar conforto e qualidade é um dos seus princípios, qual tecidos você escolhe para as roupas e qual material para as joias dos pés?

R: Vai depender do estilo de roupa e para qual ocasião vai ser usada , procuro sempre alinhar custo-benefício.

Um bom tecido, aviamentos de qualidade é fundamental para um caimento perfeito e acabamento impecável.

Os sapatos uso pedras brasileiras, brilhante, todas as tonalidades de ouro, prata e também lá usei prata banhada a ouro.

Como é a questão da sustentabilidade para você?

R: Acho fundamental se preocupar com a sustentabilidade, procuro fazer um pouco para melhorar, mas ainda faço muito pouco tanto que estou desenvolvendo um projeto para diminuir e lixo de tecidos e eles serem mais bem aproveitados.

Você tem planos de ter peças casuais e loja física?

R: Sim, já estou estudando a viabilidade de algumas peças de jeans e Alfaiataria e logo a montagem de um Atelier juntamente com a loja física.

Quais são seus próximos passos, podemos esperar um desfile com uma nova coleção Valéria Costa?

R: Estou me organizando para ter novidades para o segundo semestre por enquanto estou fazendo o figurino para a Série Sobrevivendo no Inferno para plataformas de Streaming e os looks exclusivos para você, Claudia Melo, nossa Musa da Revista Caras no camarote bateria nota 10.

Onde nossos leitores podem conhecer mais do seu trabalho ?

R: No meu Instagram @Ateliervc e no Facebook, estamos refazendo o site que vai abrir para vendas on-line .

Publicação Anterior

Biblioteca Mario de Andrade abre exposição “3 X HILDA”

Próxima Publicação

Osvaldo Novais: Hoje vamos falar de um dos meus restaurantes favoritos no Rio de Janeiro: o Giuseppe Grill, no Leblon.