Roberto Lúcio: "Felizes para Sempre” é a primeira música de Elodie

Elodie está lançando sua primeira música e conversou com a Revista do Villa.

Numa fala franca, ela conta sobre os desafios de ser mãe e se dedicar à carreira artística, além das questões da atualidade como pandemia, fama e sua mensagem principal que é dizer que todos podem ser felizes.

Elodie: Eu nasci na Suíça e meus pais decidiram me dar um nome francês. É tão diferente que, aqui em Portugal, achei que não era necessário colocar mais nenhum nome. Elodie é suficiente.

Canto desde sempre. Costumo dizer que comecei a cantar antes de começar a falar. É algo natural em mim. O primeiro instrumento que toquei foi piano, mas nunca tive teoria musical. Era tudo de ouvido.

Sempre fiz músicas nos tempos livres. Quando iniciei minhas aulas de guitarra, consegui traduzir as músicas que imaginava para o instrumento, então comecei a treinar esse meu lado de compositora.

Elodie: Talvez pela facilidade de transportar, adoro levar a guitarra para todo lado. Para composição, acho que tem que haver um instrumento. Acho importante. A parte da composição também vem um pouco da escrita. Gosto muito de escrever. Sempre escrevi. Tive diários por toda a minha vida.

Gosto da ideia de não poder dizer tudo numa música. Temos que escolher bem as palavras. O desafio é maior. Não somos tão livres, principalmente em português. Mas é muito natural em mim. Às vezes acordo com uma música na cabeça e tenho que gravar.

A parte mais a sério teve inicio com a ideia de gravar. Tinha uma gaveta com uma porção de ideias. E a primeira tinha que ser a que fiz para o meu filho.

Elodie: Minha família é angolana, foram para a Suíça, onde nasci, e agora estamos todos em Portugal, no Porto.

Acho que há um paralelismo entre música e escrita. E as canções são a ligação. Sempre li muito em português e por tanto nunca pensei em escrever em outra língua.

Eu adoro música portuguesa. Acho que 90% do que ouço é música portuguesa.

Elodie Quando escrevi a música “Felizes para Sempre”, a ideia que queria passar era de um conto de fadas. Quando faço música, estou a contar uma história.

“Felizes para Sempre” aparece no final das histórias, mas eu quis transmitir a ideia de felicidade durante a história inteira. É como se fosse um presente para o meu filho. Transmitir esse sentimento que quem é mãe conhece, de que a felicidade plena é o amor mais verdadeiro que uma mãe tem para com um filho.

O instrumental, queria que fosse tudo muito simples para que a mensagem fosse clara e nas imagens em vídeo não queria nada forçado. Acho que teve que ser a primeira música de lançamento pela sinceridade que ela passa.

Elodie: Ser mãe me trouxe uma coragem para ser cantora. A vida toda fugi um pouco dos palcos e a maternidade veio trazer esse lado mais aventureiro. Tem um significado importante lançar como primeira música, aquela que fiz para o meu filho.

Se expor como mãe pode ser desfavorável para uma carreira, mas foi tudo natural. Não penso em ser famosa. Quero apenas que as pessoas ouçam a música e tenham os mesmos sentimentos que tive ao escrever.

Elodie: Durante a pandemia, eu me refugiei na música. O maior processo de composição começou nesse período. Ao mesmo tempo tirou-me dos palcos, porque estava me apresentando em 2019. Fiquei triste nesse processo porque para mim, demorou muito esse início de carreira como cantora.

Agora quero divulgar minha música ao máximo e gravar mais. Tenho mesmo muitas músicas.

A parte de ser fotografada e ser filmada é a mais difícil. Não quero parecer modelo, não faz parte de mim. Quero ser eu mesma, natural.

Eu adoro fazer músicas, ouvir histórias, conhecer pessoas e gosto de transformar histórias em música. Sou uma contadora de histórias.

Ouça Elodie:

Publicação Anterior

Coquetel de aniversário de 1 ano da Botanic Lab – Ipanema – Fotos: Vera Donato

Próxima Publicação

Dr. Rondó Jr.: Comer chocolate para melhorar a visão?