Luma Olive: 180... O outro lado da linha. 

A cada dois minutos uma mulher sofre de violência doméstica no Brasil. Mas por que isso acontece? 

Muitas mulheres são vítimas de misóginos ,onde a violência começa de apelidinhos depreciativos, até gritos,xingamentos,o famoso “segurar pelo braço”, até a violência física de fato. 

É um processo lento onde a vítima por muitas vezes acredita ser a culpada pelas explosões  do companheiro e quase sempre ouve a frase: “ Viu o que você me fez fazer? Nunca bati em uma mulher antes!!! “ 

Essa frase vai deixar a mulher confusa e acreditando realmente que foi a culpada pela agressão sofrida, levando-a a perdoar e acreditar que nunca mis acontecerá,pois ela está no controle da situação,bastando não mais irritá-lo. 

Mas de onde vem essa crença de que a mulher tem que suportar agressões verbais e físicas? 

Mulheres, muitas delas empoderadas e bem colocadas no mercado de trabalho também são vítimas dessa estranha forma de ser “amadas”,mas por que? 

A violência contra a mulher pode estar lá atrás…homens que repetem o comportamento do pai ou pasmem! A violência pode ter começado com a própria mãe.  

Muitas mães rejeitam suas filhas e competem com elas pelo amor do pai. A violência física e psicológica aos poucos vai minando a auto estima da criança, que acredita que essa é a forma de ser amada. A mãe, é muitas vezes a raiz do problema da mulher ,que acaba se sujeitando ao parceiro que repete o comportamento dela. 

Mães abusivas, são um ponto cego nas relações familiares. É uma prisão emocional ,afinal ela é sua mãe e você acredita piamente no amor dela e que apanha porque merece. Para se tornar uma pessoa melhor. Frases como “ você nunca será nada, você não serve pra nada e nunca ninguém vai te amar” , são pontos chaves para que você acredite que não é capaz realmente de ser amada e respeitada dentro das relações que construir no futuro. 

A frase do parceiro quase sempre se igual a fala da mãe, que diz que você nunca vai ser amada como ele te ama. E você acredita ,afinal sua mãe é a referência de amor que você tem e seu parceiro está apenas te “corrigindo” para que você seja uma pessoa melhor…melhor para ele. 

Muitas mulheres procuram o serviço de proteção para parar a agressão ,mas quase nunca para se libertar do relacionamento. Muitas chamam a polícia ,mas se recusam a prestar queixa para não perder o parceiro que julgam amá-las, assim como suas mães abusivas. 

Assim como a criança busca o amor e a aprovação da mãe abusiva como um mosquito de luz, sem sucesso, a mulher começa a se anular em detrimento dos filhos e do relacionamento. 

Muitas mulheres não têm pra onde ir com os filhos,pois dependem completamente do parceiro para sobrevive ,seja financeira ou emocionalmente ,como é caso das mulheres que amam demais anônimas (MADA),um serviço direcionado à mulheres com problemas de dependência emocional dos parceiros.  

Diga não à violência física e psicológica! Busque ajuda. 

Um tapinha dói sim…na alma! 

Disque 180 para relatar violência doméstica 

Disque 100 contra violência contra crianças e adolescentes 

 

Por Luma Olive

Publicação Anterior

Jeycow Ferraz entrevista: Robson Garrido “DO CARNAVAL DO BRASIL”.

Próxima Publicação

A linda atriz Negra Gabriela Dias mostra que filha de peixe peixinho é , fazendo sucesso na Netflix