Paulo Lomasso: Terrários

Olá, meu nome é Paulo Lomasso, tenho 27 anos, e moro na cidade de Lagoa Santa, Minas Gerais. Sempre gostei muito de criações artísticas e trabalhos que envolvessem criatividade, e de forma autodidata aprendi muita coisa e trabalhei durante muito tempo como decorador de eventos, criava cenários temáticos, cerimônias e eventos de casamento e formatura. Mais tarde me apaixonei pela arte floral, e logo estava envolvido nas produções de magníficos arranjos e projetos florais de eventos.

Os terrários entraram na minha vida de uma forma muito sútil e no primeiro momento já mostraram que vieram para ficar. Tudo começou lá no início da pandemia, maio de 2020. Fiquei sem emprego, sem meu único e principal sustento. Afinal, eventos estavam proibidos sem previsão de retorno. Até que a minha mãe, havia arrumado um vidro que trouxe de um sitio que ela estava, e me pediu que fizesse um arranjo com suculentas nele, para que enfeitasse a mesa da nossa varanda. Então saímos, compramos os materiais que faltavam, e então comecei a criar aquele jardim. E durante todo o processo fui filmando pelo instagram, e mostrando como estava fazendo, para inspirar outras pessoas a fazer também, como forma terapêutica durante esse período de isolamento.

Daquele momento em diante, nada mais foi como antes. Duas pessoas que estavam acompanhando, já me encomendaram quatro terrários. E eu vendi, sem saber quanto me custaria, ou onde acharia aquele vidro. Mas vendi, intuitivamente chutei um valor, baseado nos custos que havia pesquisado rapidamente, e foi o valor que pratiquei durante muito tempo. E então esses 4 primeiros começaram a se desdobrar em mais encomendas, e mais encomendas, e assim estamos ate o dia de hoje, com nosso curso sobre terrários recém lançado, ajudando outras pessoas a transformarem a suas vidas e terem tempo de qualidade consigo mesmas.

E o que é um terrário¿ Um terrário é um ambiente onde recriamos o habitat perfeito do que iremos inserir ali. Por exemplo, um terrário de musgos, é um ambiente onde iremos manter o vidro totalmente fechado, para que a água permaneça presa ali, criando um ecossistema perfeito, se mantém meses ou anos sem precisar abrir novamente, onde presenciamos ate a chuva sob as plantas. Já um terrário de cactos e suculentas, já um clima mais seco, mantemos em um vidro aberto, com uma terra mais arenosa, ambiente mais árido, para compor o ambiente perfeito.

Os terrários são uma excelente opção para presentear as pessoas ou a você mesmo. Existem infinidades de possibilidades de personalização, par você ter uma peça afetiva em casa. Quem sabe a miniatura do seu cachorro, ou um casal pela praia, uma casinha na montanha ou aquela borboleta com tanto significado. A arte dos terrários além de decorativa e afetiva, ela também traz a terapia e a sensação de paz absoluta pra quem está criando. Enquanto você está ali envolvido na construção, pensando nas histórias que você esta imprimindo ali, por meio das plantas, das pedras, do cenário, parece que você é transportado para dentro do vidro, tentando imaginar como seria viver ali, naquele ambiente.

Existe um terrário muito famoso na história, o engenheiro David Latmer mantém uma planta viva fechada em um garrafão a mais de 40 anos. A planta foi plantada no grande garrafão no ano de 1960, que fi aberto uma única vez em 1972 para regar mais uma vez e lacrada em seguida. A planta sobreviveu porque foi criado um “ecossistema autossuficiente” dentro da garrafa, com terra, bactérias e material orgânico vindo das folhas e das estruturas do vegetal, de acordo com o Daily Mail. Para manter-se viva, a trandescantia, espécie plantada no garrafão, só precisou de luz para realizar fotossíntese e gerar energia. O solo permite que ela absorva água através da raízes e cumpra seu ciclo, com a conversão de dióxido de carbono em carboidratos e liberação de oxigênio, aponta o jornal.

E cada vez mais os terrários vem se popularizando e ganhando formas das mais variadas. E também servindo de ferramenta financeira e terapêutica para muita gente que se encontrou nesse mundo micro.

Publicação Anterior

Guilherme Marques: AMOR

Próxima Publicação

ABS-Rio abre novas turmas do seu curso de vinhos para iniciantes