Kenia Estevess: “RENATA por… RENATA RIGHI”

Olá amigos!

Nesse Dia das Mães, mas também o segundo domingo de um mês que representa os trabalhadores que estão a realizar bons e conceituados trabalhos no universo e em especial aqui no município de PORTO SEGURO-BA; convidei uma paulista linda, de luz própria, e com um engajamento empreendedor que nossa cidade precisa.

E claro, Mãe!

Mas quero defini-la apenas como uma super profissional, que atualmente exerce o posto de DIRETORA COMERCIAL de um dos melhores resorts de nossa região.

Nada de nomes e sobrenomes, pois a minha intenção em convida-la para estrelar minha coluna desse domingo, é compartilhar com meus leitores, não mais um perfil, sobre a Arte de ser Mulher, mas a real significativa de há exatamente 10 anos, ter saído de SÃO PAULO, capital, e investido no desafio de continuar a elaborar um conceito de exclusividade , porém com um olhar mais acolhedor.

Prêmios na trajetória de 20 anos colaborando com o turismo nacional, formam a “galeria” dessa pessoa admirável em sua real ESSÊNCIA.

Seja bem vinda , RENATA RIGHI!

Foto com equipe

K.E.1: Renata como você é uma empreendedora de sucesso, conta para os leitores da REVISTA do VILLA, o que significa EMPREENDER para você?

R.R.: Empreender para mim é se aprofundar naquilo que você ama, acredita e se identifica.

Tive exemplos reais em minha família, como uma “tia-mãe “, chamada MARIA AMÉLIA RIGHI, que me ensinou a desenvolver um olhar mais forte e ser assim uma plataforma de construção.

K.E.2: Em seu conceito de empreendedorismo , qual o pilar mais significativo para a pessoa que quer iniciar no mercado nesse momento ?

R.R.: Hoje para mim, o grande totem é investir na qualificação e informação do ser humano.

Em um passado remoto, até pensei que fosse a estrutura física, mas nesses 20 anos de mercado , percebi que estava equivocada.

K.E.3: Atualmente temos vários movimentos sobre as mulheres no poder.

Qual a sua posição perante um certo exagero desses trabalhos?

R.R.: Na minha visão temos um mundo cheio de particularidades.

Acredito que não seja mais tão adequado generalizarmos essa questão, pois somos tantas frentes em uma só pessoa.

Não é um Título que vai nos definir , e sim o que vou desenvolver de acordo com a minha personalidade e conhecimento.

Está na hora da sociedade entender sobre as novas individualidades e raciocínio.

Assim , poderemos desenvolver e nos identificar com novos grupos.

K.E. 4: Estamos no Mês do Trabalho, e você tem uma trajetória de ponta até chegar a Diretora Comercial de um dos mais exclusivos resorts do Extremo Sul da Bahia.

O especial LA TORRE.

Você acredita que esse caminho foi inspirado na força das mulheres de sua família?

R.R. Com certeza! Elas me deram a força e a sabedoria para conquistar inclusive alguns prêmios ao longo desses 20 anos no mercado de turismo e hotelaria.

Apesar de ser um segmento o qual não existe preconceito, vejo que agora temos a participação de todos os gêneros, os quais convivem em plena harmonia.

K.E.5: E já que falamos em LA TORRE, qual a sua visão do turismo nacional em relação ao município de PORTO SEGURO-BA?

R.R. Acho que por ter acompanhado de perto , vários destinos de ponta aqui no Nordeste, vejo que o SUL da BAHIA é especial.

O turismo é olhado por uma ótica mais genuína e assim o convida a experimentar novas vivências mais receptivas e acolhedoras.

K.E. 6: Quais os seus incentivos pessoais e profissionais para que esse turismo seja ainda mais próspero?

R.R.: O que vejo na cadeia sobre esses fatores, é que precisamos cuidar das “pontas” digamos assim.

Como exemplo, cito o canoeiro que te leva a um dos lugares mais paradisíacos de nosso território. Caraíva!

80% de nossa hotelaria, são particulares, o que nos permite uma expressão própria daquele destino.

Ao avançarmos a cada dia neste quesito, podemos criar um melhor entendimento para que esse canoeiro ou ambulante que vende seus artesanatos , continuem a prestar seus respectivos serviços e contar a história daquele lugar.

Foto com filho Theo

K.E. 8: Renata, a sua extensa vivência no setor da hospitalidade traz alguns diferenciais.

Qual deles que você acredita ser o de maior destaque para atender o hóspede com toda a exclusividade?

R.R.: Claro que precisamos pensar nos itens básicos como conforto e bem estar, mas também precisamos e devemos nos preocupar em criar espaços suficientes para que esse hóspede tenha sua privacidade respeitada.

Seja ele um jovem ou uma família, que também quer aproveitar o lazer para ter seu momento de descanso.

Isso não significa em isolar os filhos, mas sim, agregar novas histórias a vivência de cada um nesse momento de férias.

K.E. 9: O que é ser EXCLUSIVO para você?

R.R. A principal ESSÊNCIA da exclusividade é você cuidar deste hóspede, independente de faixa etária, gênero ou condição familiar, de forma personalizada.

Como citei na pergunta anterior, construir junto a eles possibilidades agregadoras , sem invadir seu espaço.

K.E. 10: O que você acha que falta em PORTO SEGURO-BA para que tenhamos um maior engajamento cultural?

R.R.: A primeira questão que acredito ser relevante, é que precisamos entender que essa iniciativa é importante e necessária.

Acreditar na montagem de um calendário que não precisa visar apenas o evento de massa que tem um custo alto para a população , mas também em um evento mais minimalista, por vezes , gratuito, como os Bloquinhos de Carnaval, que faz parte de nossa cultura regional.

Assim, queridos leitores, concluo a entrevista de RENATA RIGHI, que tem em sua melhor ESSÊNCIA a inspiração da família, mas de um turismo regional de ponta.

Acessível a todos!

Obrigada querida Renata , seja sempre bem vinda a REVISTA do VILLA .

Publicação Anterior

Livros por todo canto – Hábito da leitura aumenta durante a pandemia

Próxima Publicação

Sugestões Dia das Mães: Darkcoffee, Amélie Crêperie e Tutto Nhoque