André Conrado: São Conrado – A beleza de um bairro carioca – Final

Foto da Praia de São Conrado – Anos 50 – Arquivo Geral do RJ

Emoldurado pelos morros Dois Irmãos e da Pedra da Gávea, São Conrado é um enclave à beira-mar conhecido por sua beleza e muita história a ser contada. Repleta de verde, condomínios, hotéis de luxo e o sofisticado shopping Fashion Mall.

Foto do Bairro de São Conrado - Atualidade - @aclubtour

As asas-deltas pousam na aprazível praia do Pepino, ideal para a prática do surf e a Praia da Joatinga mais isolada, atrai alguns banhistas…

Foto da Praia da Joatinga

Além de encantadora beleza, São Conrado tem muita história a ser contada…

História do “Esqueleto” do Gávea Tourist Hotel

Em 1953, iniciou-se a construção do Gávea Tourist Hotel. A ideia, projetada pelo arquiteto Décio da Silva Pacheco, era fazer um estabelecimento de luxo que teria como público-alvo pessoas de alto poder aquisitivo.

Foto do projeto do Gávea Tourist Hotel

São cerca de 30 mil metros quadrados de área, que contariam com um restaurante, um bosque e até teleférico. Mesmo inacabado, o espaço chegou a funcionar para algumas coisas: em 1965 foi realizada uma grande festa de réveillon e uma boate, chamada Sky Terrace, funcionou por um tempo no térreo do imóvel.

Foto da construção do Gávea Tourist Hotel - Anos 50 - IBGE

Entretanto, em março de 1972, as obras do Hotel foram interrompidas pela incorporadora Califórnia Investimentos, que assumiria a construção. Cinco anos depois, essa empresa decretou falência e os trabalhos pararam de vez.

Sem recursos para vigiar o que restou da obra, os proprietários não tiveram como evitar que os materiais de construção e os elevadores suíços (que seriam usados no Hotel e já estavam no espaço onde a obra era realizada) fossem furtados.

A partir do início dos anos 1980, a construção do Gávea Tourist Hotel passou a servir de abrigo de moradores de rua e esconderijos de criminosos. Contudo, o “Esqueleto”, como a construção passou a ser conhecida, começou a ser frequentado por pessoas com outras intenções.

Há pouco tempo atrás, pessoas subiam os 272 degraus e 16 andares da construção abandonada para apreciar o que se pode ver lá do topo. Hoje o local encontra-se fechado para evitar possíveis acidentes. Localizado no meio da Floresta da Tijuca, o “Esqueleto” possibilita uma bela vista do mar de São Conrado e a Pedra da Gávea.

Foto da Vista - Esqueleto do Gávea Tourist Hotel

De acordo com informações do jornal O Globo, o atual proprietário do “Esqueleto”, Jamil Elias Suaiden, queria construir, no lugar do imóvel abandonado, um hotel quatro estrelas, com 600 quartos e um centro de convenções, porém Jamil alega que não foi possível porque o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) não autorizou a realização de alterações do desenho original, inviabilizando o início das obras.

O antigo prédio do Gávea Tourist fica dentro da Floresta da Tijuca e perto da bela Casa das Canoas.

Trilha da Pedra da Gávea

Origem do nome

A denominação “Pedra da Gávea” remonta às primeiras expedições portuguesas ao Brasil, quando em 1502, o Capitão Gaspar de Lemos, comparou sua silhueta ao cesto da gávea, que era o mirante colocado no mastro mais alto da caravela.

Existe a hipótese de que há uma inscrição esculpida na Pedra da Gávea que é supostamente fenícia, uma língua semítica conhecida por estudiosos modernos apenas através de inscrições. Em 1963 o arqueólogo e professor Bernardo A. Silva traduziu as inscrições: LAABHTEJ BAR RIZDAB NAISINEOF RUZT.

Foto da imagem das inscrições Feniíias da Pedra da Gávea - ICMBio

Levando em conta que como em hebraico, uma língua intimamente relacionada, o fenício é escrito da direita para a esquerda, esta inscrição deve ser lida como TZUR FOENISIAN BADZIR RAB JETHBAAL, que é traduzido aproximadamente como “Aqui Badezir, rei de Tiro, filho mais velho de Jetbaal”. O nome da frase é apontado como correspondente a um governante fenício chamado Badzir (ou Badezir), de cerca de 850 a.C., filho de Etbaal. A “face” da rocha teria sido esculpida à semelhança de Badzir.

Foto da Pedra da Gávea e inscrições fenícias - Atualidade - @aclubtour

Mirante do Joá

É um belo recanto escondido na estrada do Joá. Seu acesso pode ser tanto pelo bairro de São Conrado, quanto pela Barrinha, parte do bairro da Barra da Tijuca.

Foto da Vista do Mirante do Joá - Atualidade - @aclubtour

Esse pequeno e bem cuidado mirante ganhou um charme extra ao ser revestido por um painel em mosaico colorido, e assim recebe os visitantes que se deslumbram com a fantástica vista da praia de São Conrado, do morro Dois Irmãos, das ilhas Tijucas, do Clube Costa Brava e, olhando para trás, da Pedra da Gávea. Mirante pequenino, mas dá conta do recado. 

Ao lado, há uma “casinha de livros” onde cada pessoa pode deixar e retirar livros. 

Em frente, há um casarão onde funcionou nos anos 40, o Bar e Restaurante Joá e mais tarde a Boate Cassino Royale. Após outros usos, fechou as portas e, assim, permanece desde a década de 1990. Uma pena, pois poderia ser mais um atrativo turístico para o local.

Foto histórica do Restaurante Joá - Joá - Arquivo Nacional

O encantador bairro tem a Pedra da Gávea como cartão postal, o maior bloco de pedra à beira-mar do planeta. Da rampa junto à Pedra Bonita, os praticantes de voo livre saltam de asa delta e de parapente, pousam no trecho final da orla do bairro, conhecido como Praia do Pepino. Uma paisagem tão bela, que mais parece uma pintura; que fascina cariocas e visitantes!

Fontes:

@aclubtour

Arquivo Geral do Rio

Arquivo Nacional Digital

Biblioteca Nacional Digital

Biblioteca IBGE

ICMBio RJ

 

Publicação Anterior

Cerimônia de entrega do Conjunto de Medalhas de Mérito PEDRO ERNESTO ao Oftalmologista “OSWALDO MOURA BRASIL” – Fotos Cristina Granato

Próxima Publicação

Pedro Mariano canta sobre o desejo pelo contato após os tempos de reclusão em seu novo single, “Bem Perto”