Ígor Lopes: Rock In Rio Lisboa faz história na Europa

A nona edição do Rock In Rio Lisboa quebrou recordes com a presença de um grande público. Toda a movimentação em torno do evento, que reuniu astros da música internacional, foi acompanhada de perto pela Revista do Villa, que esteve presente no evento fruto de uma parceria com a Agência Incomparáveis, que conecta Brasil-Portugal e União Europeia e Mercosul. O festival de música, considerado o maior do mundo, teve lugar no Parque da Bela Vista, na capital portuguesa, nos dias 18, 19, 25 e 26 de junho.

O cartaz foi eclético, reunindo nomes como Muse, Duran Duran, a-ha, Black Eyed Peas, Ellie Goulding, Post Malone, Anitta, Jason Derulo, entre outros, que passaram pelo Palco Mundo, além de outros grandes astros, como Ney Matogrosso, Izal, Linda Martini, The Black Mamba, António Zambujo, José Cid, Bárbara Tinoco, Iza, Moullinex & Xinobi, Mundo Segundo & Sam The Kid, que subiram ao palco do Galp Music Valley.

Outros locais do festival atraíram uma multidão que teve acesso a gastronomia, brindes, passatempos e locais emblemáticos onde podiam tirar fotos inesquecíveis, eternizando a passagem por este grande festival.

Um dos pontos mais procurados, a par do palco mundo, foi a Rock Your Street, um local “dedicado à pluralidade” e que abriu espaço para nomes tão distintos quanto diversos, desde Jupiter & Okwess, Bombino, Sara Correia, Esperança – Paulo Flores & Prodígio, Bruno Pernadas, Magdalena Bay, Omar Souleyman; Arooj Aftab; Francisco, El Hombre, Idiotape, Johnny Hooker, Titica. Já o Palco Yorn destacou-se por ser “uma proposta repleta de nomes da cena urbana, com curadoria da Chelas é o Sítio – encabeçada por Sam the Kid – que levou a palco nomes como 9Miller, Eva RapDiva, Malabá e talentos emergentes oriundos de diferentes regiões”.

Houve espaço ainda para os games, música eletrônica, passeio em roda gigante com uma vista única do parque e da cidade de Lisboa e uma tirolesa que fez os mais ousados “viajarem” por cima do público posicionado em frente ao palco principal do evento.

O festival decorreu sem problemas. Havia muitos seguranças privados e policiais portugueses, alguns descaracterizados em meio a multidão. No último dia, 26, uma greve parcial do metrô lisboeta obrigou a organização do evento a fortalecer um protocolo firmado com uma empresa de transporte por aplicativos que viabilizasse a chegada e a saída segura dos visitantes da cidade do rock.

A Cidade do Rock impôs algumas medidas para “fazer com que o ambiente fosse mais seguro para todos”. Por isso, foi “expressamente proibida a entrada no recinto de alimentos e bebidas em grandes quantidades, de objetos que sejam proibidos pela legislação em vigor ou considerados perigosos pelo Promotor do Evento e pelas entidades fiscalizadoras e que possam colocar em risco a segurança dos seus portadores e/ou do público do Evento, nomeadamente: Bebidas alcoólicas; garrafas de vidro; garrafas com tampa e com embalagem superior a 0,33cl; embalagens de líquidos com capacidade superior a 100ml; latas (bebida e spray); capacetes; selfie sticks; armas de fogo e armas brancas; fogo de artifício, material pirotécnico e explosivos; objetos cortantes, pontiagudos ou perfurantes; chapéus de chuva; cadeiras; cordas; lasers e lanternas; substâncias tóxicas e drogas; computadores e laptops; power banks, com dimensão superior a um telemóvel; malas e mochilas de viagem e de grandes dimensões; equipamento de áudio, vídeo ou fotográfico, de grandes dimensões e/ou profissional, com ou sem tripé”.

O festival mostrou estar “em forma”, depois de meses parado em virtude da pandemia de Covid-19. No dia 18 de junho, 74 mil pessoas estiveram presentes; dia 19, 63 mil; dia 25, 70 mil; dia 26, houve lotação esgotada com cerca de 80 mil pessoas que viram as apresentações de Post Malone, Anitta, Jason Derulo, HMB e muitos outros artistas.

A organização do festival anunciou que está já a preparar a décima edição do evento para daqui a dois anos em Lisboa.

Enquanto isso, a cidade do Rio de Janeiro se concentra para receber o Rock in Rio no próximo mês de setembro, nos dias 2, 3, 4, 8, 9, 10 e 11, na cidade do rock, no bairro da Barra da Tijuca, zona Oeste carioca. Os ingressos já estão esgotados.

No Brasil, o palco mundo vai ter artistas e bandas icônicas como IRON MAIDEN, DREAM THEATER, GOJIRA, SEPULTURA + ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA, POST MALONE, MARSHMELLO, JASON DERULO, ALOK, JUSTIN BIEBER, DEMI LOVATO, MIGOS, IZA, GUNS N’ ROSES, MÅNESKIN, THE OFFSPRING, CPM22, GREEN DAY, FALL OUT BOY, BILLY IDOL, CAPITAL INICIAL, COLDPLAY, CAMILA CABELLO, BASTILLE, DUA LIPA, MEGAN THEE STALLION, RITA ORA e IVETE SANGALO.

Ígor Lopes

Publicação Anterior

Paula Klien tem duas obras expostas na mostra de obras inéditas do acervo do Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba (MACS)

Próxima Publicação

Designer brasileiro Aldo Diaz é o responsável pela capa da nova de Madonna “Finally Enough Love” – entrevista por Rodolfo Abreu