Ricardo Ribenboim abre duas mostras no Rio de Janeiro

Ricardo Ribenboim – Rastro dos Restos – Paço Imperial

Ricardo Ribenboim presente em dois momentos singulares: o resgate do passado e a criação do novo presente!

Rastro dos Restos no Paço Imperial || O Acaso no Espaço OASIS

O artista plástico Ricardo Ribenboim exibe, em datas sequentes no circuito cultural do Rio de Janeiro, após uma ausência de 18 anos, duas exposições individuais: “Rastro dos Restos”, no Paço Imperial e “O Acaso” no Espaço OASIS. As duas mostras estão sob curadoria de Yuri Quevedo. As 120 obras inéditas em exibição, mesmo não se apresentando como recortes de um todo, oferecem dois aspectos complementares e elucidativos da produção do artista nos últimos 5 anos. Em “Rastro dos Restos”, os trabalhos dialogam com o tempo e exibe a consciência do artista sobre o curso da história, a passagem do tempo e a finitude das coisas de onde surge a possibilidade de transformação do todo em vestígios. Já em “O Acaso”, há o compartilhamento por parte do artista, de seu processo criativo onde ressignifica fragmentos de trabalhos antigos. Ricardo Ribenboim oferece a proposição de convivência com o mutável e o incerto, sem buscar frear o fluxo dos eventos e da vida, mas admirando-os como uma força estética.

“Em cada um dos espaços a produção de Ricardo Ribenboim é vista sob um aspecto diferente. No Paço Imperial, temos a investigação mais recente do artista, que parte de rastros do passado para configurar o novo. Já no Oasis, espaço de residências experimentais, estão aquelas obras onde ele compartilha conosco  seu processo de trabalho e os entraves para elaborar aquilo que o rodeia.”, explica o curador.

 

Rastro dos Restos” – Paço Imperial

“A partir da lembrança, Ribenboim propõe a singularidade”, define Yuri Quevedo.

Coletando, aleatoriamente, restos de materiais diversos, fragmentos do ordinário, do urbano, restos do atelier, rastros de seu próprio trabalho com memórias de sua trajetória, o artista enfrenta o desafio e a necessidade de criar o novo e apresentá-lo na seleção de 80 trabalhos expostos. Enquanto muitos buscam encontrar o sentido de um todo coeso, Ricardo Ribenboim vai na contramão e faz da desarticulação o seu método; desmembra sistemas inteiros e os analisa e, sendo o artista que encontra poesia nova naquilo que sobrou – aquilo que é substantivo no rastro dos restos”, diz o curador. O artista formula uma ecologia própria – o que restou de algo, pode servir de suporte para uma nova realidade. Aqui, a história é vista como uma trama, em que ciclos se reciclam, intercalados com lacunas de esquecimento.

Ao construir marcos e estandartes com esses retalhos de lembranças, Ribenboim compartilha conosco sua ética: a memória pode ser matéria do presente à medida em que ela adquire significado no agora.

 

O Acaso” – Espaço Oasis

Nos últimos anos, Ribenboim fez do ateliê e da própria trajetória, um espaço  de reflexão, onde seu potente lado criativo finaliza objetos inconclusos, reanima pedaços de trabalhos antigos e lhes dá nova forma, nova ordem, nova significância. Nas 40 obras selecionadas pelo curador, estão as grandes telas onde ‘sinistras silhuetas tentam romper as camadas’. Desta forma “o artista compartilha conosco o valor do fazer como pensamento, do fazer enquanto dúvida, do fazer como processo de configuração de si e do mundo –   e não como terreno das definições e das certezas”, explica Yuri.

Em “O Acaso”, Ricardo Ribenboim nos descreve seu processo criativo, as agruras do fazer, onde resgata os vestígios guardados daquilo que as coisas eram antes de serem articuladas em novos sentidos: suas pinturas olham para suas esculturas para transformá-las em imagens.

Para Yuri Quevedo, “como no sonho, o caldo disforme do inconsciente ganha matéria em associações, coincidências e encaixes. Indefinições que resistem a ser figuradas, daí o acaso vira assunto”.

 

Download de imagens, clique AQUI 

 

SERVIÇO

Exposição: Rastro dos Restos

Artista: Ricardo Ribenboim

Curador: Yuri Quevedo

Abertura: 12 de julho – terça-feira – das 16h às 20h

Período: de 13 de julho a 15 de agosto de 2022

Local: Paço Imperial

Endereço: Praça XV de Novembro, 48,  Centro – Rio de Janeiro

Horários: de terça a domingo, das 12 às 18hs

 

Exposição: O Acaso

Artista: Ricardo Ribenboim

Curador: Yuri Quevedo

Abertura: 16 de julho – sábado – das 17 às 21hs.

Período: de 19 de julho a 27 de agosto de 2022

Local: Espaço Cultural OASIS

Endereço: Rua Buenos Aires, 168 – Centro – Rio de Janeiro

Horários: de terça a sábado, das 12 às 17hs.

Publicação Anterior

CHEESY: A cremosidade e leveza da Cheesecake Basco para dentro de casa

Próxima Publicação

Hoje, dia 15/07 tem show da Banda STONED, no ROCKER Bar na Barra da Tijuca.